Pular para o conteúdo principal

Aceite sua fraqueza


Você já se sentiu falho? Inadequado? Ineficaz? Você já examinou seu coração e vislumbrou pecado, trevas e derrota? Eu já. E é desencorajador e desmoralizante. Faz-me imaginar o que Deus vê em mim. Não há dúvida de que eu sou um vaso falho. Mas isso significa que eu seja um vaso inútil?

Às vezes nós tentamos driblar nossa fraqueza ao negá-las. Outras vezes nós dizemos a nós mesmos que se apenas tentarmos um pouco mais.. nos animarmos, tentarmos por nossos próprios esforços, então seremos bem sucedidos; então nós experimentaremos vitória e derrotaremos as trevas. Mas essas não são as respostas que eu vejo na Escritura.

Em 2 Corintios 4:6-7, Paulo afirma que a "luz do conhecimento da Glória de Deus na face de Jesus Cristo" brilha em nossos corações, que inerentemente contém trevas. No entanto, temos esse tesouro em "vasos de barro, para mostrar que a excelência do poder pertence a Deus e não a nós.". O lugar para começarmos, então, é pelo conhecimento de que somos falhos e danificados - vasos de barro que são rachados, surrados e facilmente quebrados. Fraqueza não é para ser negada. Nem devemos nós vencê-la por nós mesmos. Ao invés, fraqueza é para ser aceita. Paulo realmente tem prazer e se gloria sobre suas enfermidades (2 Coríntios 12:9-10). Devemos reconhecer a escuridão que habita em nossos corações e a nossa falha e inabilidade para superá-las por nós mesmos.

Mas, uma vez aceito e reconhecido, essa escuridão e essa fraqueza se tornam canais para a brilhante luz e para o poder esmagador de Deus. Esta luz da glória de Deus que brilha na face de Cristo pode superar as trevas que se escondem em nossos corações. Sua luz sobrepuja e então resplandece nas nossa escuridão. E a razão pela qual Paulo tem prazer nas suas fraquezas é porque na sua fraqueza o poder e a força de Deus são feitas perfeitas (2 Coríntios 12:9-10). É por causa de sermos falhos e débeis que qualquer sucesso ou vitória brilham mais claramente ao demonstrar a eficácia de Deus e o resultado da impressionante força de de Deus. Elas emanam da excelência do poder de Deus, e não de qualquer força intrínseca que possuamos.

Se nós esperarmos até sermos perfeitos, até repararmos todas as nossas rachaduras, para então nos oferecermos a Deus, então nunca o faremos. Mas se nos oferecemos a Deus, com todas as nossas falhas e fraquezas, nossos machucados e escuridão, sua luz irá permear nossas rachaduras e então brilhará através delas. Ele vencerá nossa fragilidade com Sua força. Nós continuaremos sendo vasos de barro, mas jarros de barro são particularmente vasos apropriados para realçar o glorioso poder de Deus, porque, em si próprios, eles não tem poder algum.

O refrão de um poema chamado "Hino", de Leonard Cohen, expressa estas verdades de uma maneira particularmente sugestiva e eloquente:

"Toquem os sinos que ainda podem ser tocados
Esqueça seu sacrifício perfeito
Há uma rachadura em tudo
E é assim que a luz adentra."

- por Joy Mosbarger

Comentários

  1. Olá, gostaria de registrar que gostei de mais desse site.
    Já virei um seguidor. Aproveito para convidá-lo a conhecer também
    o nosso blog. Ficaremos felizes por vossa visita e mais ainda se
    seguir-nos.

    Mensagem edificante para alma.
    Josiel Dias
    http://josiel-dias.blogspot.com
    Rio de Janeiro

    ResponderExcluir
  2. Como consequência a pessoa (vaso) em Deus faz alem do que é capaz no bom e perfeito propósito divino reconhecendo que é servo e nada vem dele senão pelo Poder do Nome de Jesus que nos dá autoridade pela graça se formos crentes firmes no chamado o qual temos segundo o dom reservado a cada um nos dons do espírito. A paz do Senhor amém!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Postagens mais visitadas deste blog

A mulher deve se vestir de modo que nenhum homem venha pecar por sua causa

Muitas mulheres e moças atualmente perderam seu próprio valor e muitas mulheres cristãs não tem se dado conta disso - o que acaba por as levar se vestindo conforme o mundo tem ditado; isto é, a moda. Por que digo isso?  Tenho notado o quanto muitas mulheres e moças têm se iludido ao pensarem que é bonito usarem vestimentas que mostram todas as suas curvas, tais como: roupas justíssimas delineando seu corpo, shorts e saias curtas e blusas decotadas. Mas, se fosse para ser  assim, Deus não teria vestido Adão e Eva como diz na Bíblia: " E o Senhor Deus fez túnicas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu " (Gênesis 3:21). Na palavra também está escrito: " Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos. Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras " (1 Timóteo 2:9-10). Noto ainda que muitas mulheres e moças usam roupas indecentes co

É pecado um casal de namorados dormir junto?

É pecado um casal de namorados dormir junto? - por Filipe Luiz C. Machado Recentemente um irmão em Cristo perguntou-me sobre a legitimidade - ou não - para um casal de namorados poder dormir junto. Confesso que esse é um ponto delicado, mas creio que - mais uma vez - as Escrituras nos revelam aquilo que devemos fazer. É importante notarmos, primeiro, sobre que tipo de situação nos rodeia. Uma coisa é um casal de namorados que viaja de avião e cuja aeronave cai no meio da floresta, restando poucos sobreviventes e ainda por cima, estavam na estação do inverno, o que implica dizer que necessariamente todos precisam dormir juntos - para se aquecer, caso contrário, morrerão. Mas é claro que essa é uma situação hipotética e nela seria perfeitamente coerente dormir junto, pois seria um pecado deixar alguém morrer de frio quando podia-se evitá-lo. Porém, mesmo a realidade dos namorados não é esta do avião, é a partir do dia-a-dia que as dúvidas surgem. Muitos namorad

Esposa, você vem concedendo a devida benevolência ao seu marido?

“ O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido. A mulher não tem p oder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher. Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência. Digo, porém, isto como que por permissão e não por mandamento ” (1 Coríntios 7:3-6). Primeiramente, é importante mencionar que a pergunta feita neste artigo poderia destinar-se aos esposos cristãos, até porque alguns deles podem apresentar problemas neste sentido, porém, como creio que a dificuldade em praticar esta ordenança seja mais comum para nós mulheres, resolvi destinar a pergunta nesta direção. Muitos homens ao lerem “ Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade. Como cerva amorosa, e g