Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

Aprendendo a Refutar Heresias

Pelo termo heresias , quero enfatizar todo ensinamento contrário à sã doutrina, à reta verdade ensinada na Bíblia Sagrada. Um problema, porém, surge: o que é a Verdade? Como cristãos, precisamos saber o que a Bíblia fala sobre todos os assuntos , de maneira a poder andar como Cristo andou, afinal, " Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou " (1Jo 2.6). O primeiro ponto  para se refutar heresias é, portanto, conhecer a Verdade - e isto advém de duas maneiras concomitantes: estudo diligente da Palavra e oração. Esqueça qualquer "método" que fuja a esta parceria, pois firmemente somos informados de que a mera intelectualidade, para nada serve se não estiver em Cristo, " porque sem mim nada podeis fazer " (Jo 15.5).  Se o querido leitor não conhece a Verdade e não estudou suficientemente bem, com o devido respeito, digo: não tente refutar heresias, quer dizer, acautele-se quanto à debates e discussões teológicas. Estude prime

Qual é o pecado cometido contra o Espírito Santo?

Dentre os muitos assuntos controversos no seio cristão, certamente o "pecado contra o Espírito Santo" é um dos que mais agita os ânimos e causa discussões, muitas vezes intermináveis. Inúmeras pessoas têm tecido os mais diversos comentários sobre o que seria o pecado imperdoável, como, por exemplo, se vê em alguns exemplos retirados da internet: - suicídio;  - negar a trindade;  - todo e qualquer pecado pelo qual o pecador não se arrepende; - presunção de salvação; - incorrer no mesmo erro muitas vezes; - ateísmo; - não acreditar na misericórdia de Deus. Como se pode notar, toda sorte de obstinações e rebeldias são colocadas como sendo o pecado imperdoável. Entretanto, como veremos a seguir, o contexto em que os versículos se encontra é muito claro em demonstrar qual é este pecado, de maneira que podemos, seguramente, ter o devido conhecimento por meio da leitura bíblica, não havendo necessidade alguma de ser grande erudito ou conhecedor supremo de ce

Teologia, Sexo, Drogas e Rock 'n roll!

Confesso: o título desta postagem foi para chamar sua atenção. Não, não fiz isto para enganar qualquer pessoa, e sim para demonstrar como que nossos pressupostos nos levam à conclusões erradas. Neste vídeo , ainda que com defeitos e erros de expressão, busquei demonstrar, brevemente, como que as pré-concepções que temos, muitas vezes, nos prejudicam no entender das mais variadas questões. Por exemplo: quando você leu "Teologia, Sexo, Drogas e Rock 'n roll " - o que pensou? Quais foram suas impressões sobre este título? Acaso você cogitou que este autor estaria se desviando da fé? Porventura pensou que teologia e sexo são coisas antagônicas? Perpassou sua mente que usar drogas é algo contrário à Escritura? Você chegou a expressar o pensamento comum de que "rock é coisa do diabo"? O modo como você chega ao texto ou à conversa irá determinar a maneira como você enxerga a situação. Continuando a ilustrar, eu recebo não muitos comentários neste blog, mas

É correto dizer "Jesus te ama" para todo mundo?

Durante toda a minha existência, desde o berço até os dias de hoje, sempre estive rodeado de crentes. Em verdade, nasci em família cristã e desde a tenra idade frequento a Igreja do Senhor, de modo que possuo uma certa experiência em relações cristãs. Fato é que, em que pese o venerável respeito pelos irmãos que se esmeram na evangelização externa (é um dever todos, ok?), algo passou a me incomodar após entender o cerne do evangelho, a saber, a expressão corriqueiramente utilizada: "Jesus te ama". Na entrega de folhetos, em uma conversa no ônibus ou em uma explanação andando na rua, frequentemente os crentes, no afã de falaram do amor de Deus, afirmam que Jesus ama aquela pessoa com quem estão conversando. Hoje mesmo, caminhando com minha esposa, fui abordado por um crente entregando folhetos e dizendo "Jesus te ama". Todavia, seria esta uma prática bíblica? O que diz a Escritura sobre o amor de Deus? Analisemos, ainda que brevemente, estas questões.

Cristo e a Igreja Maradoniana

Assisti, há algumas semanas atrás, um pequeno documentário que relatava a existência da Igreja Maradoniana - isto mesmo, uma "Igreja" que, literalmente, adora o jogador argentino Diego Maradona. Relato o que sucedeu: O documentário relatava a paixão que os "devotos" tinham pelo "mestre", pela habilidade com que desenvolveu seu jogo. Chegavam, inclusive, a atribuir supostos milagres ao ídolo. Milhares de pessoas reverenciavam a Diego Maradona em todo o mundo, inclusive com uma espécie de "culto", onde era lido a Bíblia Sagrada desta "Igreja", a saber, a biografia de Maradona. Havia, também, um ritual de iniciação para se pertencer a tal "Igreja", dentre eles o juramento de colocar o nome Diego em um dos filhos ou acrescentar como segundo nome em todos os filhos masculinos (não me recordo com exatidão), bem como se manterem fieis ao esporte chamado de futebol.  Ademais, existia uma espécie de "batismo"

Pregando Cristo a partir do Decálogo

Se toda a Escritura testifica de Cristo, a lei de Deus certamente não pode ser uma exceção. Conforme estudamos a lei no contexto do seminário, então, nada pode ser mais importante do que estudar seu testemunho de Cristo. Ministros do Evangelho precisam aprender como pregar Cristo a partir da lei. De fato, a lei carrega testemunho de Cristo de diversas maneiras, algumas da quais eu devo discutir nos seguintes pontos. 1. O Decálogo apresenta a justiça de Cristo. Quando dizemos que Cristo foi o cordeiro perfeito de Deus e o exemplo perfeito de vida Cristã, estamos dizendo que ele obedeceu perfeitamente à lei de Deus. Ele nunca colocou nenhum deus antes de seu Pai. Ele nunca adorou ídolos ou tomou o nome de Deus em vão. Ao contrário dos fariseus, ele nunca violou a lei do Sabbath (Sábado). Assim, o decálogo nos diz como Jesus era. Ele nos mostra seu caráter perfeito. 2. O Decálogo mostra nossa necessidade de Cristo. A lei de Deus nos convence do pecado e nos leva a Jesus.

O Perdão Exclui a Punição pelo Pecado?

Um certo vídeo ( clique aqui ) tem gerado toda sorte de problemas com relação a determinada doutrina cristã, a saber, a doutrina da retribuição pelo mal cometido. Como se pode verificar no mesmo, uma mãe, encontrando o assassino de seu filho [ 1 ], possivelmente após o inquérito policial ou após alguma audiência judicial, diz que ele está perdoado. Ela afirma de modo a expressar algo bíblico, isto é, o amor que deve ser concedido, afinal, primeiro fomos perdoados pelo Senhor. Todavia, este vídeo tem sido disseminado a fim de propagar a errônea de que o perdão de pecados exime o malfeitor da pagar por sua culpa. Noutras palavras, muitos crentes o tem divulgado para mostrar que o amor não faz necessário haver punição pelo crime - o que é uma completa inverdade. Assim, ainda que mui brevemente, iremos analisar o que a Escritura nos diz sobre o perdão e punibilidade pela transgressão. 1. O perdão de pecados A Bíblia assim afirma: " Então Pedro, aproximando-se dele, d