Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2012

10 modos de se apontar um lápis para a glória de Deus

1 . Aponte-o com alegria, pois você possui um lápis; 2 . Aponte-o corretamente, pois você é mordomo do que o Senhor lhe deu; 3 . Aponte-o de forma a não desperdiçar o restante do lápis; 4 . Aponte-o cantando salmos, pois eles servem para todos os momentos; 5 . Aponte-o de forma a ter uma ponta firme, durável e eficaz; 6 . Aponte-o com gratidão, cuidando para que a ponta não venha a quebrar; 7 . Aponte-o da melhor maneira, pois assim se deve agir com as coisas do Senhor; 8 . Aponte-o com entendimento, afinal, o conhecimento é também um dom; 9 . Aponte-o com louvor a Deus pelas pessoas que o fizeram; 10 . Aponte-o na esperança de que o utilizará para as coisas do Reino.

Uma [Breve] Nota Sobre o Dom de Curar

Como temos visto, Paulo pôde curar muitos doentes ao longo de todo o Livro dos Actos. Ele curou todos os doentes na Ilha de Malta em Actos 28. E ele escreveu aos Coríntios sobre o dom de curar que estava em operação na sua igreja durante o período dos Actos (1 Cor. 12:9).  Porém vimos também que com o encerramento do Livro dos Actos, o dom de curar deixou de funcionar. Paulo não podia curar mais ninguém – nem Epafrodito em Filipenses 2, nem Timóteo em 1 Timóteo 5:23, nem Trófimo em 2 Timóteo 4:20. O dom de curar tinha deixado de funcionar, juntamente com os outros dons sinais.  Hoje Deus não dá mais o dom de curar, e não há “curandeiros.”  Porém nós não deveríamos pensar que Deus não cura mais! Em Filipenses 2 lemos de uma cura que Deus operou depois do dom de curar ter deixado de funcionar: “Julguei, contudo, necessário mandar-vos Epafrodito, meu irmão, e cooperador, e companheiro nos combates, e vosso enviado para prover às minhas necessidades. Porquanto tinha muitas saudades de v

A Maldição do Discurso Motivacional

No último domingo, um jovem veio falar comigo após o culto. Ele é o tipo de pessoas que aparece na igreja de vez em quando e desaparece por um longo período. Imagino que ele anda pelas igrejas experimentando sermões e procurando por respostas. Nessa vista, ele pediu que eu o ajudasse a superar uma falha em sua vida, e era uma falha em progredir. Ele disse que seu maior problema é que não acreditava em si mesmo. Como eu poderia ajudá-lo a acreditar em si mesmo de tal forma que ele se tornasse bem-sucedido? Eu perguntei se ele era cristão. Sua resposta foi “Eu realmente preciso a fim de ser bem-sucedido? Você está me dizendo que todas as pessoas bem-sucedidas por aí são cristãs? Não existem princípios gerais que eu possa aplicar a minha vida – quer eu seja cristão ou não – que podem me alavancar ao sucesso?”. Eu o desafie a responder ele mesmo a essas perguntas. Afinal, eu tinha certeza de que ele tinha já passado bastante tempo entre palestrantes motivacionais para ter a resposta. “Es

Carta a uma família que frequentemente chega atrasada na igreja

*A presente carta é de gênero fictício, embora contenha situações da vida real. Olá, querida família Lero-Lero. Me desculpem ter recusado seu convite para o último jantar. Eu e minha esposa já tínhamos um compromisso firmado, por isso não pudemos ir - mas certamente teremos outras oportunidades. Estou lhes mandando esta carta porque aprecio muito a companhia de vocês, de modo que ao vê-los na igreja, sempre juntos, muito me alegra o coração e constantemente louvo ao Senhor por suas vidas. Também escrevo-a na oração a Deus de que Ele lhes transforme a cada dia e os faça mais semelhantes ao Seu filho Jesus, de modo que aos poucos possam testemunhar de como o Senhor tem sido gracioso com vocês, a ponto de os dar irmãos que possuem a liberdade em Cristo para os admoestar. Acontece, querida família, que, embora eu afirme que vocês sejam muito especiais, precisam estar cientes de algo que estão fazendo e que tem atrapalhado toda a igreja: quase sempre chegam atrasados. Neste ponto, não

Efésios 1.15-16 - Rendendo Graças a Deus pelos Irmãos - Exposição em Efésios - Sermão pregado dia 24.06.2012

Efésios 1.15-16 -  Rendendo Graças a Deus pelos Irmãos -  Exposição em Efésios -  Sermão pregado dia 24.06.2012 " Por isso, ouvindo eu também a fé que entre vós há no Senhor Jesus, e o vosso amor para com todos os santos, Não cesso de dar graças a Deus por vós, lembrando-me de vós nas minhas orações: " (Ef 1.15-16). Muitos são os homens que fazem as mais diversificadas distinções e interpretações dentro da palavra de Deus. Talvez, a mais comum seja o afirmar de quando se estuda muita doutrina bíblica, se acaba por ficar inerte em relação ao evangelismo, prática cristã e amor entre os irmãos. Quer dizer, com relação a este último, muitos ousam afirmar que "estudar a Bíblia a fundo" leva a uma estagnação em relação ao amor entre os crentes, pois se tende a priorizar o conhecimento em detrimento da união. Todavia, para fazer com que tais pessoas tenham suas opiniões estraçalhadas sobre o chão da Palavra, no presente versículo o apóstolo nos mostra o quão jubiloso

Série: Homem e Mulher os criou - parte 13 - Homem e Mulher após a Queda - Direitos e Deveres dos Solteiros e Casados - Sermão pregado dia 24.06.2012

Série: Homem e Mulher os criou -  parte 13 - Homem e Mulher após a Queda - Direitos e Deveres dos Solteiros e Casados - Sermão pregado dia 24.06.2012 Tendo sido expulsos do jardim, homem e mulher estavam de uma vez por todas privados daquela relação gloriosa que possuíam com o Senhor no Éden; mas, como vimos, aprouve ao Eterno lhes revestir da justiça de Cristo e constantemente lhes ser misericordioso, de forma que mesmo após o pecado, pela graça (e tão somente!) poderiam ser salvos e ter seu relacionamento reconciliado por Deus através de Jesus Cristo (Jo 14.6). É preciso, portanto, que delimitemos algumas questões importantes sobre a vida humana após a queda, afinal, a criação havia se corrompido e, além disso, necessitariam labutar na terra e lutar contra o pecado que constantemente lhes assediaria. Assim, foi do agrado do Altíssimo paulatinamente lhes revelar a Sua vontade, isto é, como se diz na teologia, a revelação de Deus foi progressiva na história, de forma que constan

Jesus também tinha parentes incrédulos

Você, assim como eu, tem parentes que não creem em Jesus? Se sim, estamos em boa companhia. Jesus também tinha. E acho que a razão para isso ter acontecido é nos dar esperança. De acordo com o apóstolo João, “nem os seus irmãos criam nele” (João 7.5). Isso é incrível. Aqueles que viveram com Jesus por 30 anos não o conheciam de verdade. Nenhum dos irmãos de Jesus é mencionado como um discípulo durante seu ministério pré-crucificação. Mas após sua ressurreição e ascensão, ali estão eles no cenáculo adorando-o como Deus (Atos 1.14). Por que eles não acreditavam? E o que os fez mudar? A Bíblia não responde a primeira pergunta, mas eu aposto que era difícil ter Jesus como irmão. Primeiro , Jesus era inigualável em inteligência e sabedoria. Aos 12 anos, ele deixava os mestres no templo admirados (Lucas 2.42,47). Um irmão pecador, caído e com dons pode ser difícil de acompanhar. Imagine um irmão com dons e perfeito. Segundo , o consistente e extraordinário caráter moral de Jesus deve t

O que fazer quando não há uma igreja fiel onde vives? (conselhos do reformador John Knox)

Nota do autor do Blog: A Igreja Puritana Reformada no Brasil , junto com suas demais congregações, está pronta e disposta para ajudar qualquer irmão ou irmã (em qualquer lugar do Brasil e, porque não, do mundo) que esteja necessitando de ajuda quanto à falta de uma igreja bíblica para congregar.  Caso possamos lhe ser úteis, envie um e-mail para filipe@reformahoje.com.br _________ Conselhos Saudáveis de uma Epístola de John Knox dirigida a seus irmãos na Escócia Prólogo do tradutor* : Esta epístola foi escrita em momentos muito turbulentos. Após anos como clérigo anglicano e um dos mais destacados conselheiros da Coroa britânica, John Knox tivera que fugir e se exilar em Genebra, devido a ascensão da rainha católico-romana Maria Tudor, a chamada "Sanguinária". Nesse período de exílio (1553-1559) estudou na Academia de Genebra sob a tutela de João Calvino e pastoreou igrejas de exilados ingleses em Frankfurt e Genebra. Mas seu coração estava voltado para a Escóc

Um motivo bíblico pelo qual muitos não gostam de gatos (felinos)

Já de início desejo deixar registrado que a breve e presente reflexão é tão somente o que se propõe ser. Sob hipótese alguma estou advogando que aqueles que não gostam de felinos são "menos crentes" ou que estão em pecado - por favor, que ninguém pense isso. Também não estou dizendo que os que gostam de cachorros, passarinhos e tartarugas são pessoas que precisam se arrepender de suas condutas. Apenas quero deixar registrado que até mesmo as nossas escolhas por animais de estimação refletem um pensamento comum em absolutamente todos os homens: o orgulho Sim, somos terrivelmente orgulhosos. Esse orgulho é muitas vezes imperceptível, como descreveu certo autor: "O orgulho é pecado. Quando a alma percebe seu orgulho e como isso ofende a Deus, logo percebe o perigo que está correndo. Assim, aplica suas forças na busca de humildade. Ao passar do tempo, vendo que está crescendo em humildade, logo, de maneira sutil e imperceptível, seu orgulho se manifesta, orgulhando-se de

Efésios 1.14 - O Penhor da Nossa Herança - Exposição em Efésios - Sermão pregado dia 17.06.2012

Efésios 1.14 -  O Penhor da Nossa Herança -  Exposição em Efésios -  Sermão pregado dia 17.06.2012 " O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória " (Ef 1.14). Esta pregação que tivemos foi gravado em vídeo - clique no link para assistir:  http://twitcam.livestream.com/ahuzz Tendo o apóstolo exposto aos irmãos de Éfeso de que uma vez em Cristo, para sempre n'Ele - não pelo querer humano, mas por Deus que se compadece (Rm 9) -, agora ele utiliza ainda outra expressão para firmar na coração daqueles crentes que o Espírito Santo não reside apenas hipoteticamente na vida dos filhos do Senhor, mas que de fato é vivo e é O garantidor da possessão que um dia haverão de adquirir. A presente sentença de Paulo vai diametralmente em contraposição ao que muito têm dito e distorcido da palavra de Deus, pois não poucos ousam afirmar que o Senhor não salva os seus eleitos - na verdade, por rebeldia ou ignorância, por vezes até