Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Está chovendo lá fora, mas aqui dentro tem o sol...

"Está chovendo lá fora, mas aqui dentro tem o sol. E esse sol é Jesus, é Jesus o nosso sol! Esse sol é Jesus, é Jesus o nosso sol!" *pequena música que minha mãe cantava quando éramos pequenos.

Um cristianismo externo não é suficiente

Um cristianismo externo não é suficiente - por João Calvino 1. Perguntemos àqueles que não possuem nada mais do que a membresia de uma igreja e que apesar disso desejam ser chamados de cristãos, como podem glorificar o sagrado nome de Cristo. Somente aquele que tem recebido o verdadeiro conheci­mento de Deus, por meio da Palavra do Evangelho, pode chegar a ter comunhão com Cristo. O apóstolo disse que ninguém que não tenha posto de lado a velha natureza, com sua corrupção e concupiscências, pode dizer que tenha recebido o verdadeiro conhecimento de Cristo. O conhecimento externo de Cristo é só uma crença perigo­sa, não importando quão eloqüentes possam ser as pessoas que o têm. 2. O evangelho não é uma doutrina do discurso, mas da vida. Não se pode assimilá-lo por meio da razão e da memória, única e exclusivamente, pois só se chega a compreendê-lo, total­mente, quando Ele possui toda a alma e penetra no mais profundo do coração. Os cristãos nominais devem parar de insultar a

SOLI DEO GLORIA: A Erosão do Culto Centrado em Deus

SOLI DEO GLORIA: A Erosão do Culto Centrado em Deus - Declaração de Cambridge Onde quer que, na igreja, se tenha perdido a autoridade da Bíblia, onde Cristo tenha sido colocado de lado, o evangelho tenha sido distorcido ou a fé pervertida, sempre foi por uma mesma razão. Nossos interesses substituíram os de Deus e nós estamos fazendo o trabalho dele a nosso modo. A perda da centralidade de Deus na vida da igreja de hoje é comum e lamentável. É essa perda que nos permite transformar o culto em entretenimento, a pregação do evangelho em marketing, o crer em técnica, o ser bom em sentir-nos bem e a fidelidade em ser bem-sucedido. Como resultado, Deus, Cristo e a Bíblia vêm significando muito pouco para nós e têm um peso irrelevante sobre nós. Deus não existe para satisfazer as ambições humanas, os desejos, os apetites de consumo, ou nossos interesses espirituais particulares. Precisamos nos focalizar em Deus em nossa adoração, e não em satisfazer nossas próprias necessidades. Deus é

Carta a um Jovem Cristão que se diz Revolucionário

Carta a um Jovem Cristão que se diz Revolucionário - por Filipe Luiz C. Machado *A presente carta é de gênero fictício, embora contenha situações da vida real. ----- Olá, Gerônimo. Antes de mais nada, perdoe-me por meu estilo "velho" de escrever, pois há tempos já que assim escrevo e me é difícil escrever de outra forma. Já temos conversado um pouco sobre o que é ser jovem no mundo atual e sobre o que significa ser um jovem cristão na atualidade. Mas penso que também seria benéfico que eu lhe colocasse alguns pormenores que talvez você não esteja a par. É necessário notar que essa divisão entre recém-nascido, criança, pré-adolescente, adolescente, jovem e adulto é algo estranho às Escrituras. É estranho porque nos dias de hoje as atitudes das pessoas não são mais medidas pela coerência para com a bíblia, mas sim em sintonia com a sua faixa etária. Ou seja, o adolescente é rebelde, briga com os pais e é revoltado na escola não porque lhe falta leitura bíblica, oração

Não há Casualidade em Deus

Não há Casualidade em Deus – po Thomas Watson (1620-1686) a. A providência divina é predeterminada, mesmo que para nós pareça casualidade. Uma segunda proposição é que essas providências, que para nós são eventuais e acidentais, são predeterminadas pelo Senhor. A queda de uma telha sobre a cabeça de alguém e o surgimento de um incêndio, o que nos parecem casuais, são, na verdade, ordenados pela providência de Deus. Tem-se um claro exemplo disso em 1 Reis 22.34: "Então, um homem entesou o arco e, atirando ao acaso, feriu o rei de Israel por entre as juntas da sua armadura". Esse acidente foi casual para o homem que entesou o arco, mas era divinamente ordenado pela providência de Deus. A providência de Deus dirigiu a flecha para que atingisse o alvo. As coisas que parecem acidentais, ou por acaso, são os canais dos decretos de Deus e a interpretação da sua vontade. b. A providência divina deve ser considerada, mas não deve se tornar uma regra para nossas ações Devemos

Carta a um Pastor que se diz Calvinista

Carta a um Pastor que se diz Calvinista - por Filipe Luiz C. Machado *A presente carta é de gênero fictício, embora contenha situações da vida real. ----- Boa noite, amado Amadeu. Por já ser esse o nosso quarto e-mail, não me delongarei muito naqueles pontos que já conversamos, ok? Apenas comentarei sobre aqueles que creio serem mais importantes no momento. Recentemente lembro-me de você ter comentando comigo acerca das dificuldades que tem tido para conciliar a doutrina calvinista com a geração de hoje. Lembro-me também de você ter expressado o profundo desejo de ser relevante para o mundo de hoje, na expectativa de que o reino de Deus seja proclamado com força e vigor. Permita-me, porém, reforçar aquilo que já havia conversado com você anteriormente. Fico grato a Deus que tem levado-o a buscar a fé em nosso Senhor Jesus Cristo e que isso o tem motivado para um desejo ainda maior de cuidar dos que estão sob seu cuidado. O problema, meu caro Amadeu, é que tenho vi

O que os outros dizem de Você? - por Jonathan Edwards

O que os outros dizem de Você? - por Jonathan Edwards Considere o que outros podem dizer sobre você. Embora as pessoas estejam cegas quando às suas próprias faltas, facilmente descobrem os erros dos outros — e consideram-se aptas o suficientes para falar deles. Algumas vezes, as pessoas vivem de maneiras que absolutamente não são adequadas, porém estão cegas para si mesmas. Não vêem seus próprios fracassos, embora os erros dos outros lhes sejam perfeitamente claros e evidentes. Elas mesmos não vêem suas falhas; quanto às dos outros, não podem fechar os olhos ou evitar ver em que falharam. Alguns, por exemplo, são inconscientemente muito orgulhosos. Mas o problema aparece notório aos outros. Alguns são muito mundanos ainda que não sejam conscientes disso. Alguns são maliciosos e invejosos. Os outros vêem isso, e para eles lhes parecem verdadeiramente dignos de ódio. Porém, aqueles que têm esses problemas não refletem sobre eles. Não há verdade no seu coração e nem no

Pode um cristão casar com um incrédulo?

Pode um cristão casar com um incrédulo? - por Jorge Fernandes Isah Alguém pode pensar que este é um assunto morto. Tanto quanto o defunto mais velho enterrado no cemitério da sua cidade. Porém, isso me parece muito mais uma atitude para se afastar do assunto, rejeitá-lo ou negligenciá-lo, do que propriamente conhecê-lo à luz da Escritura. Há muitos que consideram normal o casamento misto. Afinal, o marido crente abençoa a mulher não-crente, e vice-versa. Mas esquecem-se de que o contexto para esta afirmação não se encontra antes do casamento, quando um(a) crente poderia casar com uma(um) incrédula(o) e assim obter de mais tempo e empenho para convertê-la(o). Paulo nos diz que isso acontece quando dois incrédulos se casam, e no decorrer do casamento, um deles se converte a Cristo. Como o casamento é indissolúvel, não há porque o recém-convertido se separar da outra parte, a menos que esta não queira viver com ele. Não há garantias de que um crente, cas

Exposição no Salmo 100 - Sermão pregado dia 24.07.2011

Exposição no Salmo 100 - Sermão pregado dia 24.07.2011 Nosso texto: Salmo 100 . Amados, novamente estamos diante de um salmo de extraordinária beleza e ampla doxologia ao nosso Senhor. Como bem sabemos, os salmos eram o "hinário" do povo de Israel e por esse motivo devemos atentar para o fato de que qualquer letra inventada pelo homem que não seja totalmente coerente com o que o povo de Deus cantava, deve ser eliminada e rejeitada com não bíblica. Dentro desse prisma, nós não lemos que algum salmista dizia que o seu "deus sonhava", "que só depende de você", "que basta uma oração para as montanhas ruírem" ou qualquer coisa nesse sentido. Muitíssimo pelo contrário, vemos os salmistas escrevendo e expressando a glória de Deus sobre tudo o que aconteceu, acontece e acontecerá. Os salmos nos descrevem a amplitude do conhecimento e magnificência de Deus. O salmo de hoje é um salmo de louvor ao Senhor. Diferentemente de outros salmo

[VÍDEO] Albert N. Martin - A Verdade!

Albert N. Martin - A Verdade!

O Cativeiro de Satanás

O Cativeiro de Satanás - por J. I. Packer Satanás não tem qualquer poder independentemente de Deus. Satanás (ainda que, sem dúvida, ele nunca o tenha admitido) é uma ferramenta de Deus. Ao conceder a Satanás tanto poder, Deus se utiliza dele para executar o juízo divino sobre um mundo rebelde. Assim como um homem pode fazer uso de um cão bravo que o odeia, para desviar de sua propriedade os invasores, assim Deus faz uso de Satanás para punir aqueles que têm pecado. Satanás e os demônios estão num estado de aprisionamento, e isso desde a sua queda; eles estão guardados "sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande dia" (Jd 6; Mt 25.41; Ap 20.10). Todos estão em cadeias. Não possuem maior liberdade de ação do que aquela que Deus lhes concede; e, em tudo quanto fazem, como disse Calvino, arrastam consigo as suas cadeias. Satanás gosta de pensar e quer que outros pensem que ele é o verdadeiro governante deste mundo (cf. Lc 4.6). Mas, a verdade é que ele não pode ex

A Disposição Interna do Evangelista Puritano

A Disposição Interna do Evangelista Puritano - por Dr. Joel Beeke Um ingrediente muito importante na evangelização puritana era a disposição interna do evangelista. 1) Em primeiro lugar , ele vivia com um sentimento de dependência do Espírito Santo. O pregador puritano estava plenamente consciente da sua incapacidade de salvar uma alma e da grandeza da conversão. Ao mesmo tempo, ele estava convicto que é agradável a Deus usar a pregação como o meio principal para salvar os eleitos. O pastor puritano trabalhava no espírito de dependência do Senhor, convicto de que não podia fazer nada por suas próprias forças e que o seu trabalho no Senhor não era vão. 2) Em segundo lugar , o puritano tinha uma constante disposição interior de orar. Eram grandes pregadores porque em primeiro lugar eram grandes suplicantes. Eram pessoas que lutavam com Deus e sabiam muito bem o que significava "agonizar" pedindo a bênção divina sobre a palavra que eles acabavam de pregar. Quero dar uma ilus

Reformar é também voltar

Reformar é também voltar - por Filipe Luiz C. Machado O grande lema da reforma - "Ecclesia reformata et semper refomanda est" [ 1 ] - deve ser restaurado em nossos dias, porém, não da maneira como muitos pensam que deva ser feito. Talvez o grande erro dessa visão seja que partamos do pressuposto errado, isto é, que reformar alguma coisa é torná-la nova, mais bonita, diferente daquilo que era anteriormente. Ora, não é isso quando temos em mente quando reformamos nossas casas? Acaso alguém pensa em destruir uma construção de tijolos para enguer uma de madeira no lugar? Certamente que não, mas muitas vezes é isso que precisamos fazer. Não desejaria que alguém entendesse de maneira errada o que estou dizendo, mas é necessário atentarmos para o fato de que ser uma cristão reformado, em outras palavras, é ser um cristão à moda antiga. Com moda antiga, não desejo expressar que devamos viver com trajes do século XVI e XVII ou termos o mesmo sistema político que eles. O problema n

Há algum tipo de pecado incorporado ao seu estilo de vida?

Há algum tipo de pecado incorporado ao seu estilo de vida? - por Jonathan Edwards As instruções para você auto-examinar-se quanto a algum pecado do qual talvez você não esteja crente já foram dadas. Como estão as coisas na sua vida? Você acha que está vivendo em algum caminho mau? Não estou perguntando se você está livre de pecado. Isso não é o esperado, pois não há quem não peque (lRs 8.46). Mas há algum tipo de pecado incorporado ao seu estilo de vida e prática? Sem dúvida alguns estão limpos nessa questão, alguns "irrepreensíveis no seu caminho, que andam na lei do Senhor... que guardam as suas prescrições, e o buscam de todo coração; não praticam a iniqüidade e andam nos seus caminhos" (SI 119.1-3). Permita que sua consciência responda sobre como você vê sua própria vida. Você pratica algum pecado pela força do hábito? Você se deu permissão para isso? Se esse for o caso, considere o seguinte: Se você tem procurado a salvação e ainda não a encontrou, a razão disso p

É pecado um casal de namorados dormir junto?

É pecado um casal de namorados dormir junto? - por Filipe Luiz C. Machado Recentemente um irmão em Cristo perguntou-me sobre a legitimidade - ou não - para um casal de namorados poder dormir junto. Confesso que esse é um ponto delicado, mas creio que - mais uma vez - as Escrituras nos revelam aquilo que devemos fazer. É importante notarmos, primeiro, sobre que tipo de situação nos rodeia. Uma coisa é um casal de namorados que viaja de avião e cuja aeronave cai no meio da floresta, restando poucos sobreviventes e ainda por cima, estavam na estação do inverno, o que implica dizer que necessariamente todos precisam dormir juntos - para se aquecer, caso contrário, morrerão. Mas é claro que essa é uma situação hipotética e nela seria perfeitamente coerente dormir junto, pois seria um pecado deixar alguém morrer de frio quando podia-se evitá-lo. Porém, mesmo a realidade dos namorados não é esta do avião, é a partir do dia-a-dia que as dúvidas surgem. Muitos namorad

A grandeza do propósito da santificação

A grandeza do propósito da santificação - por Thomas Watson (1620-1686) É um grande propósito que Deus executa no mundo fazer uma pessoa à sua semelhança em santidade. O que são os respingos das ordenanças senão gotejos de justiça sobre nós para nos fazer santos? Para quê servem as promessas senão para encorajar à santidade? Para que o Espírito foi enviado ao mundo senão para nos ungir com a santa unção? Para que servem todas as aflições senão para nos fazer participantes da santidade de Deus? (Hb 12.10). Para que servem as misericórdias senão para nos atrair à santidade? Qual é a finalidade da morte de Cristo senão que seu sangue pudesse nos purificar em nossa falta de santidade? "O qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade, e purificar para si mesmo um povo exclusivamente seu" (Tt 2.14). Assim, se não somos santos, crucificamos o grande propósito de Deus no mundo. Nossa santidade atrai o coração de Deus. [ 1 ] A santidade é a i

Uma Declaração Breve e Simples da Fé Reformada

Uma Declaração Breve e Simples da Fé Reformada - por Benjamin Warfield 1. Creio que meu único objetivo na vida e na morte deve ser glorificar a Deus e gozá-lo para sempre; e que Deus me ensina a como glorificá-lo em sua santa Palavra, isto é, a Bíblia, que ele deu pela inspiração infalível do seu Espírito Santo, para que eu pudesse saber com certeza no que crer concernente a ele e quais deveres ele requer de mim. 2. Creio que Deus é um Espírito, infinito, eterno e incomparável em tudo o que ele é; um Deus, mas três pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo; meu Criador, meu Redentor, e meu Santificador; em cujo poder e sabedoria, justiça, bondade e verdade posso depositar minha confiança com segurança. 3. Creio que os céus e a terra, e tudo o que neles há, são obra das mãos de Deus; e que tudo o que ele fez, agora dirige e governa em todas as suas ações; de forma que cumprem o fim para o qual foram criados; e eu, que confio nele, não serei envergonha