Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2012

Série: Homem e Mulher os criou - parte 6 - Homem e Mulher no Jardim, A Questão dos Filhos (Respondendo aos Questionamentos) - Sermão pregado dia 29.04.2012

Série: Homem e Mulher os criou -  parte 6 -  Homem e Mulher no Jardim, A Questão dos Filhos (Respondendo aos Questionamentos) - Sermão pregado dia 29.04.2012 Dando sequência ao que temos abordado, pretendo responder a alguns questionamentos e declarações comuns que são levantadas em relação à proibição de se usar métodos contraceptivos. Se você está lendo esse texto e tiver ainda outra pergunta que não foi respondida, não hesite em contatar-me que, dentro do possível, irei respondê-lo(a). 1. "Nós nos casamos pensando em não ter filhos e, portanto, essa doutrina nos é muito difícil."  Talvez, assim como foi minha experiência pessoal, você tenha casado (ou está para casar) com o firme intuito de não ter filhos e, lógico, para isso utiliza-se (ou pensa em) constantemente de métodos contraceptivos ("camisinha", pílulas anticoncepcionais, remédios...). No entanto, assim como todas as questões bíblicas, devemos, com a graça majestosa do Senhor, buscar o livramento

A Lei de Deus na Vida do Cristão

Muitos intérpretes têm estado perplexos com o fato de Paulo poder dizer que confirmava a Lei, especialmente considerando as muitas passagens em suas epístolas que parecem revogá-la. Uma sugestão é que Paulo não queria dizer nada mais que, agora, a Lei é confirmada no sentido de que a verdade à qual testemunhava se sucedeu (v.21 [Rm 3]). No entanto, esta interpretação é claramente insuficiente. Outra sugestão, baseada na visão de que essas palavras referem-se à Lei cerimonial, encontra seu significado no fato de que as cerimônias e tipos foram cumpridos em Cristo. Essa, novamente, não é totalmente adequada, porque quando o apóstolo fala sobre a Lei nessa passagem, ele certamente inclui a Lei moral. A Lei é confirmada pelo Evangelho de três formas. Em primeiro lugar, com relação às suas penalidades: esse aspecto foi confirmado em Cristo, que satisfez a justiça de Deus. Em segundo lugar, com relação aos seus requerimentos de perfeita obediência: isso também foi cumprido em Cristo. Em te

10 Breves Considerações sobre a "Porta e o Caminho Estreito"

" E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem " (Mt 7.14). 1 . Não há muitas e diversificadas interpretações da Escritura; 2 . Só existe um caminho, uma forma correta e um ensinamento bíblico acerca das coisas do Reino; 3 . Sendo Cristo o caminho, deve-se andar como Ele andou e seguir a Lei que Ele seguiu; 4 . É uma porta, e, embora não seja física, é o único caminho pelo qual pode-se adentrar o Reino dos céus; 5 . É apertado, pois, ou anda-se na linha e na Lei do Senhor, ou se está fora; 6 . É descrito como um caminho, e, não, como uma nuvem de algodão doce ou um mar de rosas; 7 . Tal caminho conduz à vida - ou se está nele e encontra-a, ou se está está fora e a morte é seu galardão; 8 . São poucos, não muitos; não são todos que a encontram - esqueça o Universalismo. 9 . Nem todos a encontram, pois não desejam a porta estreita, mas sim a larga e mui propícia porta da farra, diversão e rejeição da Lei de Deus. 10 . Somente

Efésios 1.8 - "Que ele fez abundar toda a sabedoria e prudência" - Exposição em Efésios - Sermão pregado dia 22.04.2012

Efésios 1.8 - "Que ele fez abundar toda a sabedoria e prudência" Exposição em Efésios -  Sermão pregado dia 22.04.2012 " Que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência " (Ef 1.8). Tendo Paulo ensinado-nos sobre que somos abençoados nas regiões celestiais em Cristo (v. 3), que isso se dá graças à eleição maravilhosa do Senhor feita antes da fundação do mundo (v. 4), havendo também dito que isso decorre por vias predestinadas pelo Eterno, a fim de que possamos andar no justo e reto caminho que Ele planejou (v. 5), tudo redundando em glórias Seu nome (v. 6) e tudo isso sendo possível a nós pecadores por causa da redenção que temos em Seu sangue precioso (v. 7), agora o apóstolo como que inicia uma nova parte de sua - extensa - saudação aos irmãos de Éfeso e diz-lhes que, uma vez estamos fixados em Cristo, por causa d'Ele abundou a Sua sabedoria e prudência em nossas vidas. Nos é preciosa a palavra de Deus, pois não " em nenhum outro há

Série: Homem e Mulher os criou - parte 5 - Homem e Mulher no Jardim, A Questão dos Filhos (Uma Ordem) - Sermão pregado dia 22.04.2012

Série: Homem e Mulher os criou -  parte 5 -  Homem e Mulher no Jardim, A Questão dos Filhos (Uma Ordem) - Sermão pregado dia 22.04.2012 Após termos sido ensinados mediante a exposição do Salmo 127 onde visualizamos com que beleza e bênção o salmista trata a questão dos filhos, agora importa-nos verificar de que forma isso deve ser colocado em prática, isto é, uma vez casados, como o homem e a mulher devem interpretar o mandamento " frutificai e multiplicai-vos "? Há basicamente três interpretações:  A primeira  afirma que esse mandamento já foi cumprido por Adão e Eva e sua posterioridade, de forma que o intuito de Deus seria povoar a terra com seres humanos; como isso já ocorreu, os casais de hoje (e de tempos passados), se quiserem, não precisam ter filhos, haja vista a terra já ter sido povoada. Por não precisarem ter filhos, os métodos anticoncepcionais seriam aceitos e lícitos diante do Senhor.  A segunda  trabalha com sendo uma boa sugestão vinda da parte de Deus

A conversão do ladrão pela graça de Deus

Sua conversão ocorreu numa época quando, exteriormente, parecia que Cristo havia perdido todo o poder para salvar, seja a si mesmo ou a outros. Esse ladrão havia marchado ao lado do Salvador através das ruas de Jerusalém e o tinha visto sucumbir sob o peso da cruz! É altamente provável que, como sua ocupação fosse a de ladrão e assaltante, esse fosse o primeiro dia que em que ele punha seus olhos no Senhor Jesus e, agora que o via, era sob toda a circunstância de fraqueza e desgraça. Seus inimigos estavam triunfando sobre ele. A maior parte de seus amigos o havia abandonado. A opinião pública estava unanimemente contra ele. Sua própria crucificação foi considerada como totalmente inconsistente com sua messianidade. Sua condição humilde foi uma pedra de tropeço aos judeus desde mesmo o início, e as circunstâncias de sua morte devem ter intensificado isso, especialmente a alguém que nunca o havia visto senão em tal condição. Mesmo aqueles que tinham crido nele foram levados à dúvida por

Mulheres cristãs "Sem-Vergonha" - Pelo amor ao Senhor (e aos homens), não se exponha.

Uma mulher entrou no meu escritório alguns dias atrás. Ela estava quase-vestida, usando apenas sutiã e calcinha. Só tem uma mulher no mundo que tem o direito de estar comigo vestido assim: minha esposa. Mas esta mulher que entrou no meu escritório alguns dias atrás, não era minha esposa. Eu fiquei muito constrangido. Constrangida ela não ficou de forma alguma. Vamos chamar ela de “Sem-Vergonha”. A Sem-Vergonha não ficou constrangida, pois ela engoliu a mentira da nossa sociedade moderna. Esta mentira diz o seguinte: se a sutiã e a calcinha estiverem da mesma cor e feitas de um tecido que se pode usar na água, então não são roupas íntimas—são roupa de banho. A Sem-Vergonha se declara Cristã, mas mesmo assim ela parece não ter problema em expor o corpo dela para o mundo inteiro. Imagino que ela ficaria talvez com vergonha de andar no shopping ou visitar uma família, vestida apenas de sutiã e calcinha. Mas por alguma razão, ela não percebe problema nenhum em escolher uma foto dela assim

Mel na caveira de um leão morto

Sansão foi levantado por Deus num tempo de opressão. Seu nascimento foi um milagre. Foi consagrado a Deus como nazireu desde o ventre. Tornou-se um portento. Sua força era colossal. Era um jovem prodígio, um verdadeiro gigante, homem imbatível. Seu único problema é que não conseguia dominar seus impulsos. Um dia viu uma jovem filisteia e disse a seu pai: “Vi uma mulher em Timna, das filhas dos filisteus; tomai-ma, pois por esposa [...] porque só desta me agrado” (Jz 14.2,3). Seu pai tentou demovê-lo, mas Sansão não o ouviu. Certa feita, caminhando pelas vinhas de Timna, um leão novo, bramando, saiu ao seu encontro, mas Sansão rasgou esse leão como se rasga um cabrito. Depois de alguns dias passou pelo mesmo local e foi dar uma olhada no corpo do leão morto. Estava ali, na caveira do leão, um enxame de abelhas. Sansão pegou um favo de mel nas mãos e se foi andando e comendo dele (Jz 14.8,9). Sansão era nazireu e não podia tocar em cadáver. Ele quebrou, ali, o primeiro voto de sua cons