Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2011

Examinando Nosso Arrependimento - Thomas Watson

Se alguém diz que se arrependeu, desejo que examine-se a si mesmo, seriamente, por meio dos sete... efeitos do arrependimento delineados pelo apóstolo em 2 Coríntios 7.11. 1. Cuidado . A palavra grega significa uma diligência intensa ou um esquivar-se atento de todas as tentações ao pecado. O homem verdadeiramente arrependido foge do pecado como Moisés fugiu da serpente. 2. Defesa . A palavra grega é apologia. O sentido é este: embora tenhamos muito cuidado, podemos cair no pecado devido à força da tentação. Ora, nesse caso, o crente arrependido não deixa o pecado supurar em sua alma; antes, julga a si mesmo por causa de seu pecado. Derrama lágrimas perante o Senhor. Clama por misericórdia em nome de Cristo e não O deixa, enquanto não obtém o seu perdão. Assim, em sua consciência, ele é defendido da culpa e se torna capaz de criar uma apologia para si mesmo contra Satanás. 3. Indignação . Aquele que se arrepende levanta o seu espírito contra o pecado, assim como o sangue de alguém

Qual o Problema com o Teatro? Porque a Proclamação é o Método Bíblico!

Certamente a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus (1 Coríntios 1:18). O meio escolhido e indicado por Deus de comunicar o evangelho glorioso é a proclamação, ou seja, por meio de palavras. Toda a evangelização do Novo Testamento foi através de palavras, seja pela pregação, testemunho pessoal, ou por escritos. O mundo daqueles dias era cheio de arte dramática e simbolismo cultual, mas os mensageiros do Calvário se mantiveram indiferentes a tudo isso e trabalharam com palavras. “Como ouvirão”, pergunta o apóstolo Paulo em Romanos 10, “se não há quem pregue?” Ele não diz: “Como ouvirão” se não há um ator, ou uma banda de músicos, ou um grupo de debate? A comunicação do evangelho deve ser com palavras dirigidas à mente. Isto requer um discurso racional, quer seja proferido em um grande auditório ou numa reunião doméstica. O método da proclamação – particularmente a pregação – está sob ataque hoje nos círculos evangélicos. Quase

Qual o propósito da morte de Cristo? Ele morreu por todos os homens?

Nós já dissemos, resumidamente, o que as Escrituras ensinam sobre o porquê da morte de Cristo (Primeira Parte, capítulo um). Agora que já exploramos todo o assunto, de modo geral, precisamos examinar em maiores detalhes aquelas passagens que falam sobre o que foi realizado através da morte de Cristo. Farei isso, examinando três grupos de versículos bíblicos.   Primeiro, há aquelas passagens que mostram qual o propósito de Deus na morte de Cristo. Escolhi oito versículos para examinarmos, embora muitos outros pudessem ser usados.   1.  Lucas 19: 10. "Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido." - Portanto, está claro que Deus pretendia realmente salvar os pecadores perdidos mediante a morte de Cristo.   2.  Mateus 1 :21. " ... e chamarás o seu nome Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados." - Portanto, tudo que fosse realmente necessário para salvar os pecadores deveria ser feito por Jesus Cristo.  3. I Timóteo 1: 15. "

Não participem dos Dias de Baal - do Puritano Holanês Jacobus Koelman

Não permita que seus filhos comemorem aqueles dias nas quais a incredulidade e a superstição estão sendo dispensadas. Eles são, reconhecidamente, inclinados para querer isso, porque eles vêem os filhos dos pais Romanistas observando estes dias. Não permita que eles freqüentem carnavais, Terça-Feira Gorda (Mardi Gras), busquem o Papai Noel, ou observem a Duodécima Noite, porque todas estas coisas são restos de um papado idólatra. Você não deve deixar seus filhos longe dos estudos nestes dias, ou longe do trabalho, nem deve deixá-lo brincar lá fora ou participar da diversão. O Senhor disse, "Não fareis segundo as obras da terra do Egito, em que habitastes, nem fareis segundo as obras da terra de Canaã, para a qual eu vos levo, nem andareis nos seus estatutos." (Lev. 18:3). O Senhor punirá os Reformados por causa dos dias de Baal (Oséias 2:12-13), e Ele também observa o que as crianças tem feito nos dias de tal idolatria (Jer. 17:18). Portanto, não deixe seus filhos receberem p

À Lei e ao Testemunho - Livro do Profeta Isaías 8:20

"Os judeus incrédulos eram propensos a buscar conselho, quando em dificuldades, em diferentes adivinhos, cujas tolas e pecaminosas cerimônias são aqui aludidas. Será que sabemos como podemos buscar ao nosso Deus, e cheguar ao pleno conhecimento da Sua mente? À lei e ao testemunho, porque lá você poderá ver o bem, e conhecer o que o Senhor exige. Devemos falar das coisas de Deus, segundo as palavras que o Espírito Santo ensina, e sermos governados por estas palavras". Por Matthew Henry Fonte: Igreja Puritana

Porquês de não celebrar o Natal - Respostas comuns dadas por cristãos para a celebração do Natal

I. O texto de Romanos 14.5,6 não permite aos cristãos a celebração do Natal? “Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor não o faz" (Rm 14.5,6a). 1. Paulo, em sua epístola aos Romanos, lidava com uma situação única na igreja primitiva. Havia judeus crentes que “consideravam os dias santos da economia mosaica como dotados de santidade permanente". Os “dias" mencionados em Romanos eram dias ordenados por Deus na antiga economia. Paulo menciona “os dias santos e cerimoniais da instituição levítica". Quase todos os comentaristas concordam com essa interpretação. Paulo permite a diversidade na Igreja a respeito desses dias santos judeus por causa de circunstâncias histórias exclusivos. Quando Jesus Cristo morreu na cruz, os aspectos cerimoniais da lei (p.ex., sacrifícios de animais, dias santos,

Sexto elemento constitutivo do culto público: Reunião no Dia do Senhor (parte 2) - Sermão pregado dia 18.12.2011

Sexto elemento constitutivo do culto público:  Reunião no Dia do Senhor (parte 2) -  Sermão pregado dia 18.12.2011   Dando prosseguimento com nosso estudo acerca do Dia do Senhor ( clique aqui  para ler a parte 1), hoje veremos o porquê do dia de Sábado ter sido alterado para o primeiro dia da semana, isto é, o Domingo e algumas consequências necessárias dessa troca. Na próxima parte (parte 3) veremos quais as práticas autorizadas e que podem ser feitas nesse dia. É sempre importante levarmos cativo que o sábado era um dia de extrema importância para o judeu, pois conforme vimos, Deus havia instituído um dia em cada sete para que o povo cessasse de todas as suas atividades e se dedica-se ao Senhor, contudo, Deus não os deixou sem promessa, e sim afirmou: " Se desviares o teu pé do sábado, de fazeres a tua vontade no meu santo dia, e chamares ao sábado deleitoso, e o santo dia do SENHOR, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, nem pretendendo fazer a tua pró

Coreografia na Igreja - A Dança da Ignorância!

A ignorância dança na minha frente! Colorida, maquiada, e iluminada, ela se contorce feita serpente, mas não entendo o que ela quer dizer!  Trevas medievais se abatem sobre o culto de igrejas modernas. Novamente os ministros do evangelho estão buscando roupas, cores, luzes, sons, gestos mudos, e centralidade em mulheres que, sem saber, roubam a glória de Cristo nos cultos dessas igrejas. Dessa forma, a velha igreja Católica Romana com seu culto colorido tem sido lembrada no meio evangélico.  Estive pregando em um congresso para jovens presbiterianos, e fiquei decepcionado ao ver que, o culto desses jovens nada tinha a ver com o presbiterianismo histórico, nem com o sistema calvinista de adoração. Não sei quem é o culpado por tantos descaminhos dentro de nossas igrejas; o que sei é que o culto presbiteriano está aleijado em muitas igrejas; precisa de muletas para andar. O princípio que subjaz esta enfermidade é o fato dos líderes acharem que só a Palavra de Deus e os sacramentos já n