Pular para o conteúdo principal

Liberdade alicerçada


"E não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão" -
Por Filipe Luiz C. Machado


Seja fiel às suas tradições!
Não se contamine com o mundo, pois ele jaz no maligno!

Onde Deus está ali há liberdade!
Não podemos ser legalistas, fomos chamados para sermos livres!

Quem de nós nunca escutou alguma dessas frases durante um “louvor”, um culto, ou alguma palestra?

É verdade que a bíblia nos ensina que Cristo nos chamou e nos colocou em situação de liberdade. Mas a pergunta que devemos fazer é: do que fomos livres e o que ela significa?

Gl 5.1 ”Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão”.

Devemos destacar alguns pontos importantes neste escrito de Paulo:

1. Nesta carta, Paulo estava interessado em deixar claro que a salvação é uma dádiva da graça de Deus, que não é ganha nem merecida, mas recebida somente pela fé (2.15-16) (Nota de rodapé – Bíblia de Estudo de Genebra)

Ou seja, tanto os cristãos judeus, como os gentios, deveriam ter a clara certeza de que nada que eles fizessem poderia comprar a sua salvação. Paulo desejava que seus leitores não voltassem a praticar as velhas obras da lei, pensando que através delas poderiam ser salvos.

2. Se fomos libertados, é porque outrora estávamos presos em algo. E no que estávamos presos?

Em Cristo, fomos libertos da maldição da lei. Fomos chamados para uma vida de liberdade que não é mais regida pela lei, mas sim pela presença e graça de Deus em nós. A lei não foi abolida, mas sim cumprida por Jesus (Mt 5.17). Seguindo que a lei não foi extinta, quer dizer que ainda há nela preceitos preciosos que devemos e precisamos seguir a cada dia. Sim, há várias leis cerimoniais e alimentícias que foram extintas, mas os mandamentos morais da lei permanecem como declarações da vontade de Deus para a conduta cristã (Rm 8.2-8; 13.8-10). (Nota de rodapé – Bíblia de Estudo de Genebra)

3. A literatura judaica da época compara a lei a um jugo ao qual o obediente se submete. Paulo não quer que os seus leitores de origem gentílica permitam que a lei tome o lugar de Cristo em suas vidas (Mt 11.29; At 15.10). (Nota de rodapé – Bíblia de Estudo de Genebra)

Interessante quando contrastamos o jugo da lei com a liberdade que agora nos é dada.

Antes o povo tinha com o que se guiar, havia uma norma que norteava suas vidas e seus afazeres. Eles sabiam como e o que deveriam fazer para que fossem filhos obedientes. Mas quando Cristo vem e cumpre a lei (nos fazendo livres) ele derruba todo o sistema de vida que os judeus tinham. Aquilo no qual eles se baseavam e se vangloriavam de (tentar) seguir, lhes havia sido tirado. Perdidos e fora da lei, ficaram “sem saber o que seguir”.

Também hoje, em nossos dias, a história não é muito diferente.
Vemos igrejas que escravizam o povo e os colocam novamente sob o jugo do legalísmo, moralismo e farisaísmo travestido de cristianismo.
Em contrapartida, vemos também igrejas que tiram todo o jugo (a lei) e deixam o povo sem qualquer direção para suas vidas. É o "cada um por si e Deus por todos".

Precisamos voltar e rever as declarações da vontade de Deus para nossas vidas. Receio que muitas partes da Igreja tenham sido destruídas e mortas por falta de ensinamentos bíblicos claros e precisos.

Não devemos nos submeter novamente ao jugo de escravidão, mas também não podemos; dos preceitos, abrir mão.

Deus abençoe!

Comentários

  1. Mano, foi pra liberdade que Cristo nos libertou, certo. Só que quando a gente diz "foi isso, mas...", corremos o grave risco de colocarmos um pouquinho de fermento e levedarmos a massa toda. Os 'preceitos' que sobraram são tão somente um - o amor. Resumiu muito bem o Agostinho de Hipona, em suas 'Confissões': Ama e faze o que queres.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Releia Santo Agostinho filho, e pensa se o que queres é o que Deus quer, e assim o glorifica
      .

      Excluir
  2. Shalom!

    Uma alegria conhecer seu blog. O Eterno resplandeça o rosto Dele sobre ti!

    Medite no Sl 36.8,9

    Nele, Pr Marcelo

    Visite: http://davarelohim.blogspot.com/

    e veja o texto:

    O tempo da minha partida - 2 Tm 4.6

    ResponderExcluir
  3. Que bom encontrar alguém que milita na mesma causa, com firmeza e equilíbrio.

    Parabéns pelo belo trabalho apresentado em seu blog. Já estou seguindo.

    Aproveito para lhe convidar a conhecer o meu blog, e se desejar também segui-lo, será uma honra.

    Seus comentários também serão muito bem-vindos.

    www.hermesfernandes.blogspot.com

    Te espero lá!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Postagens mais visitadas deste blog

A mulher deve se vestir de modo que nenhum homem venha pecar por sua causa

Muitas mulheres e moças atualmente perderam seu próprio valor e muitas mulheres cristãs não tem se dado conta disso - o que acaba por as levar se vestindo conforme o mundo tem ditado; isto é, a moda. Por que digo isso?  Tenho notado o quanto muitas mulheres e moças têm se iludido ao pensarem que é bonito usarem vestimentas que mostram todas as suas curvas, tais como: roupas justíssimas delineando seu corpo, shorts e saias curtas e blusas decotadas. Mas, se fosse para ser  assim, Deus não teria vestido Adão e Eva como diz na Bíblia: " E o Senhor Deus fez túnicas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu " (Gênesis 3:21). Na palavra também está escrito: " Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos. Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras " (1 Timóteo 2:9-10). Noto ainda que muitas mulheres e moças usam roupas indecentes co

É pecado um casal de namorados dormir junto?

É pecado um casal de namorados dormir junto? - por Filipe Luiz C. Machado Recentemente um irmão em Cristo perguntou-me sobre a legitimidade - ou não - para um casal de namorados poder dormir junto. Confesso que esse é um ponto delicado, mas creio que - mais uma vez - as Escrituras nos revelam aquilo que devemos fazer. É importante notarmos, primeiro, sobre que tipo de situação nos rodeia. Uma coisa é um casal de namorados que viaja de avião e cuja aeronave cai no meio da floresta, restando poucos sobreviventes e ainda por cima, estavam na estação do inverno, o que implica dizer que necessariamente todos precisam dormir juntos - para se aquecer, caso contrário, morrerão. Mas é claro que essa é uma situação hipotética e nela seria perfeitamente coerente dormir junto, pois seria um pecado deixar alguém morrer de frio quando podia-se evitá-lo. Porém, mesmo a realidade dos namorados não é esta do avião, é a partir do dia-a-dia que as dúvidas surgem. Muitos namorad

Esposa, você vem concedendo a devida benevolência ao seu marido?

“ O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido. A mulher não tem p oder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher. Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência. Digo, porém, isto como que por permissão e não por mandamento ” (1 Coríntios 7:3-6). Primeiramente, é importante mencionar que a pergunta feita neste artigo poderia destinar-se aos esposos cristãos, até porque alguns deles podem apresentar problemas neste sentido, porém, como creio que a dificuldade em praticar esta ordenança seja mais comum para nós mulheres, resolvi destinar a pergunta nesta direção. Muitos homens ao lerem “ Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade. Como cerva amorosa, e g