Pular para o conteúdo principal

Dê sua opinião: esse jovem foi salvo?


Dê sua opinião: esse jovem foi salvo? -

por Filipe Luiz C. Machado

Suponhamos o seguinte ocorrido:

Joaquim, jovem de 22 anos, cresceu em um lar não cristão e jamais frequentou qualquer igreja. Muitos amigos cristãos já haviam lhe pregado o evangelho e avisado-o sobre a importância de arrepender-se de seus pecados e ir à Cristo, mas Joaquim nunca arrependeu-se. Eis que certo dia, sentado em seu quarto, Joaquim "se lembrou" de que havia uma igreja bíblica perto de sua casa - que pregava a sã doutrina de Cristo - e resolveu ir visitá-la. Porém, enquanto dirigia-se para a igreja foi atropelado e veio a falecer no hospital.

Diante do exposto, 2 teólogos debatem sobre o assunto:

Teólogo 1: O jovem foi salvo, pois Deus é um deus de extremo amor e não poderia deixar que um atropelamento viesse a frustrar a vida daquele jovem.

Téologo 2: O jovem não foi salvo, pois cabia à responsabilidade daquele jovem ter-se arrependido antes - da sua morte - dos seus pecados, não podendo alguém ser salvo depois da morte.

Teólogo 1: O jovem foi salvo sim, pois Deus é soberano e sabia que aquele jovem iria até a igreja e se converteria, apenas não teve a oportunidade de fazê-lo.

Teólogo 2: O jovem não pode ter sido salvo, pois já há muito tempo vinha sendo admoestado por seus amigos cristãos, ficando indesculpável diante de Deus.

Teólogo 1: O jovem precisa ser salvo, pois se Deus é soberano ele mesmo proporcionou o atropelamento, afinal, o ir até a igreja seria apenas continuação do processo que iniciou-se em seu quarto quando resolveu ir à igreja.

Teólogo 2: O jovem permaneceu impenitente em seus pecados e não foi à Cristo em humilde obediência. O fato de ter sido atropelado nada tem a ver com sua salvação, sendo apenas um fato que aprouve a Deus que acontecesse.

Teólogo 1: Embora o jovem tenha permanecido impenitente, Deus em sua soberania tocou-o ainda em seu quarto e levou-o em direção à igreja, mas como o inimigo anda ao redor querendo tragar os seus, acabou matando-o.

Teólogo 2: A soberania de Deus não invalida a responsabilidade do jovem que deveria ter-se arrependido anteriormente e do dever de ter o cuidado devido ao andar pela rua, sendo ele culpado por sua condenação.

Diante do exposto, esse jovem foi salvo ou não?

Comentários

  1. Bem, é difícil comentar. Estou mais para o teólogo 2. Apenas pondero que, apesar de o texto não relatar o que aconteceu na mente do jovem até o atropelamento, ele pode ter experimentado o arrependimento e a fé ali (até porque já conhecia o evangelho). Esse novo nascimento não precisa acontecer dentro de um templo. Como texto não diz sobre o que se passou no coração do jovem, fico com o teólogo 2, pois a soberania de Deus para a conversão exige a fé, que é dada ao homem, mas precisa ser exercida por este. Deus não pode exercer essa fé no lugar do homem.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Postagens mais visitadas deste blog

A mulher deve se vestir de modo que nenhum homem venha pecar por sua causa

Muitas mulheres e moças atualmente perderam seu próprio valor e muitas mulheres cristãs não tem se dado conta disso - o que acaba por as levar se vestindo conforme o mundo tem ditado; isto é, a moda. Por que digo isso?  Tenho notado o quanto muitas mulheres e moças têm se iludido ao pensarem que é bonito usarem vestimentas que mostram todas as suas curvas, tais como: roupas justíssimas delineando seu corpo, shorts e saias curtas e blusas decotadas. Mas, se fosse para ser  assim, Deus não teria vestido Adão e Eva como diz na Bíblia: " E o Senhor Deus fez túnicas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu " (Gênesis 3:21). Na palavra também está escrito: " Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos. Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras " (1 Timóteo 2:9-10). Noto ainda que muitas mulheres e moças usam roupas indecentes co

É pecado um casal de namorados dormir junto?

É pecado um casal de namorados dormir junto? - por Filipe Luiz C. Machado Recentemente um irmão em Cristo perguntou-me sobre a legitimidade - ou não - para um casal de namorados poder dormir junto. Confesso que esse é um ponto delicado, mas creio que - mais uma vez - as Escrituras nos revelam aquilo que devemos fazer. É importante notarmos, primeiro, sobre que tipo de situação nos rodeia. Uma coisa é um casal de namorados que viaja de avião e cuja aeronave cai no meio da floresta, restando poucos sobreviventes e ainda por cima, estavam na estação do inverno, o que implica dizer que necessariamente todos precisam dormir juntos - para se aquecer, caso contrário, morrerão. Mas é claro que essa é uma situação hipotética e nela seria perfeitamente coerente dormir junto, pois seria um pecado deixar alguém morrer de frio quando podia-se evitá-lo. Porém, mesmo a realidade dos namorados não é esta do avião, é a partir do dia-a-dia que as dúvidas surgem. Muitos namorad

A importância da Renúncia

Texto por Angela E. P. Machado ----- “E, pondo-se Jesus a caminho, correu um homem ao seu encontro e, ajoelhando-se, perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um, que é Deus. Sabes os mandamentos: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, não defraudarás ninguém, honra a teu pai e tua mãe. Então, ele respondeu: Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude. E Jesus, fitando-o, o amou e disse: Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me. Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas propriedades.” Marcos 10.17-22 Neste breve texto, vemos o reflexo daquilo em que os judeus acreditavam. Pensavam eles que as riquezas eram um sinal da aprovação de Deus e que os ricos teriam maiores possibilidades de serem salvos, ou seja, de alcançarem a vida etern