"Eu me confesso ser do número daqueles que, aprendendo, escrevem; e escrevendo aprendem" - Agostinho

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Série: Homem e Mulher os criou - parte 20 - Homem e Mulher após a Queda - A Modéstia no Vestir - (O que é nudez para a Bíblia?) - Sermão pregado dia 12.08.2012


Série: Homem e Mulher os criou - parte 20 -
Homem e Mulher após a Queda – A Modéstia no Vestir 
(O que é nudez para a Bíblia?)
Sermão pregado dia 12.08.2012

Este estudo bíblico foi gravado em vídeo - para assistir, clique no link: 
http://twitcam.livestream.com/bixv8
(clique em Skip this ad now para pular a propaganda)

Conforme vimos, as vestes dadas pelo Senhor não foram fornecidas sob algum contexto cultural ou devido à alguma tendência da moda daqueles tempos, mas sim no Éden, no lugar onde homem e mulher haviam sido criados. Algo que é importante salientar é que falar em modéstia não significa dizer que o corpo humano é mau, maligno, como que fazendo eco ao antigo gnosticismo que dizia que a matéria era má e que o espírito era bom. Lemos nas Escrituras que "Justo é o SENHOR em todos os seus caminhos, e santo em todas as suas obras" (Sl 145.17), todavia, precisamos sempre relembrar que apesar de toda beleza da criação, em todos os aspectos o pecado foi inserido - e, por óbvio, se aplica também ao modo de se vestir. Isto precisa ficar bastante claro para nós, pois não são poucos que nos chamam (e chamarão) de moralistas, legalistas, dizendo que afirmamos ser o corpo criado por Deus algo mal e perverso (lembremos de quantos antigamente também levaram este rótulo jocoso por não perverterem a Lei de Deus como os demais). Neste sentido, a própria Escritura testifica contra estes, pois se o corpo humano fosse tão desgraçado como querem afirmar que dizemos, então dever-se-ia excluir o livro de Cantares de Salomão, por exemplo, pois que outro livro da Bíblia retrata mais o corpo humano do que aquele? Assim, afirmamos que o corpo criado por Deus é bom e digno de ser apreciado, contudo, dentro dos limites estabelecidos pelo Deus Todo-Poderoso e criador dos céus e da terra, cuja excelência e sabedoria vão muitíssimo além de toda nossa razão e conhecimento.

Mas, embora o corpo humano seja bom, algo é muito, mas muito perverso diante do Senhor: a nudez. Entretanto, nem sempre a nudez foi má: "E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam" (Gn 2.25). Este entendimento de que a nudez é perversa é primeiramente extraído das vestes dada pelo Senhor - as túnicas de pele (veremos mais adiante alguns detalhes) -, donde lemos a diferença entre a roupa feita pelo homem e a feita por Deus. Entretanto, não é somente daí que aprendemos, mas de muitos outros versículos que ensinam cristalinamente que a nudez é algo afrontoso, blasfemo diante do Senhor e que representa a completa vergonha e desprezo.

- "E ele também despiu as suas vestes, e profetizou diante de Samuel, e esteve nu por terra todo aquele dia e toda aquela noite; por isso se diz: Está também Saul entre os profetas?" (1Sm 19.24);
- "Assim o rei da Assíria levará em cativeiro os presos do Egito, e os exilados da Etiópia, tanto moços como velhos, nus e descalços, e com as nádegas descobertas, para vergonha do Egito" (Is 20.4);
- "Portanto, ó meretriz, ouve a palavra do SENHOR. Assim diz o Senhor DEUS: Porquanto se derramou o teu dinheiro, e se descobriu a tua nudez nas tuas prostituições com os teus amantes, como também com todos os ídolos das tuas abominações, e do sangue de teus filhos que lhes deste" (Ez 16.35-36).
- "E eles te tratarão com ódio, e levarão todo o fruto do teu trabalho, e te deixarão nua e despida; e descobrir-se-á a vergonha da tua prostituição, e a tua perversidade, e as tuas devassidões" (Ez 23.29);
- "Ela, pois, não reconhece que eu lhe dei o grão, e o mosto, e o azeite, e que lhe multipliquei a prata e o ouro, que eles usaram para Baal. Portanto tornarei a tirar o meu grão a seu tempo e o meu mosto no seu tempo determinado; e arrebatarei a minha lã e o meu linho, com que cobriam a sua nudez" (Os 2.8-9).
- "Então aquele discípulo, a quem Jesus amava, disse a Pedro: É o Senhor. E, quando Simão Pedro ouviu que era o Senhor, cingiu-se com a túnica (porque estava nu) e lançou-se ao mar" (Jo 21.7);
- "Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus. E por isso também gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação, que é do céu; Se, todavia, estando vestidos, não formos achados nus" (2Co 5.1-3 - note o contraste entre estar revestido e nu, ainda que Paulo esteja falando figurativamente).

Olhemos ainda para a parábola dos talentos, onde lemos sobre esta diferença entre estar nu e vestido: "Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me... E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?... E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos... Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes. Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos? Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim" (Mt 25.34-36, 38, 40-41, 43-45 - grifo meu).

Que a nudez completa e diante dos outros (exceto, é claro, os pais que cuidam de seus filhos enquanto bebês e a relação entre homem e mulher casados entre si) é algo moralmente vulgar e absolutamente reprovável e indigno diante do Senhor é ponto pacífico e praticamente todos os cristão aceitam essa verdade - exceto alguns desvairados e falsos professos da fé em Cristo que creem que a nudez representa uma volta à antiga pureza do Éden. Porém, ponderemos por um momento em nosso coração e vejamos se muitas das vestimentas que existem hoje não são praticamente a mesma coisa como se a pessoa estivesse nua. Pois quem será o louco que dirá que nudez é estar completamente despido de roupa e que quando se acrescenta alguns poucos centímetros de pano por cima da pele isto já torna a pessoa vestida? Precisamos retornar à modéstia bíblica por amor de nosso Senhor Deus e também para não sermos pedra de tropeço para os demais.

A palavra "vergonha" na Bíblia (como vimos em vários versículos no estudo passado), geralmente tem conotação geral, isto é, as Escrituras não chegam a especificar qual parte é ou não vergonhosa mostrar (quer dizer, não temos uma sequência de versículos que nos digam explicitamente). Contudo, as Escrituras também não nos deixam sem bases para serem lançadas.

Para a parte de cima do corpo temos alguns importantes versículos: "Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade. Como cerva amorosa, e gazela graciosa, os seus seios te saciem todo o tempo; e pelo seu amor sejas atraído perpetuamente. E porque, filho meu, te deixarias atrair por outra mulher, e te abraçarias ao peito de uma estranha?" (Pv 5.18-20). A palavra de Deus nos ensina primariamente três coisas: Em primeiro lugar, que o homem deve se alegrar somente com sua esposa. Homens que interagem demasiadamente com outras mulheres podem incorrer em graves perigos e darem razão à carnalidade. Em segundo lugar, que o corpo de sua amada (o inverso também é verdadeiro) é fonte de prazer para ele - "os seus seios te saciem todo o tempo". E, em terceiro lugar, que o homem não deve se deixar ser levado por outra mulher e se enredar com a estranha. Destas premissas se conclui que a mulher deve se vestir de forma que seu colo/peito não seja visível a outros homens, mulheres e crianças (tanto em pé, com ao se abaixar - em todo o tempo). Isto inclui tanto a proibição para se ver a pele (que é algo que causa grandiosos problemas para o homem) como para se usar vestes que contornem excessivamente esta região, afinal, esta é a função da roupa (como vimos anteriormente - esconder a forma do corpo) e também as demais pessoas não devem ter uma aula de anatomia ao olharem para a mulher (assim como é verdade no tocante ao corpo do homem). Este entendimento é plenamente verdadeiro, pois se bastasse apenas esconder a pele, por que apenas não borrifaríamos um pouco de tinta sobre a mesma?

É uma mentira perniciosa e forjada por Satanás o brado de certas pessoas que ressoam as seguintes palavras: "O corpo é meu! Eu faço o que eu quiser com ele!" Contra estes o veredicto da Palavra lhes deixa sem fôlego: "E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens" (Cl 3.23). As Escrituras são firmes em dizer que tudo, absolutamente tudo deve ser feito como se estivéssemos realizando ao Senhor e Ele estivesse diante de nós, além de precisarmos buscar realizar todas as coisas para Seu louvor e glória (1Co 10.31). Tudo tendo que ser feito "como ao Senhor", então todo aquele que busca se vestir para mostrar suas "curvas" e aparecer diante dos homens, erra em seu dever cristão.

O problema e toda discussão surge, então, sobre quais são as partes do corpo que devem ser cobertas. Que a nudez plena é ilícito, é algo tranquilo e aceito pela grande maioria, mas poderiam as Escrituras nos fornecer um padrão de modéstia? Afirmo positivamente e veremos claramente isto.

Partimos do princípio de que se anteriormente à queda a nudez era lícita diante dos homens e de Deus (Gn 2.25), posteriormente a nudez passou a representar vergonha e algo completamente ilícito diante de Deus: "E chamou o SENHOR Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás? E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me. E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses?" (Gn 3.9-11). Não precisamos ir muito longe para provar isto na prática, pois basta olhar os filmes, por exemplo, e notar que toda a vez que aparece algo que personifica o mal ou tem a intenção de demonstrar algo diabólico, na maciça maioria das vezes o que aparece é uma mulher vestindo roupas sensuais e falando exatamente como Provérbios descreve a mulher imoral. Cartazes de apresentações e eventos frequentemente também personificam a devassidão e "liberdade" com pessoas com poucas roupas.

É preciso deixar registrado que cobrir o corpo não é sinônimo de legalismo e igualmente não significa que uma pessoa seja "santa" somente porque está devidamente coberta, afinal, já pontuamos que o problema se inicia no coração. Contudo, cobrir o corpo é a expressão visível de quem somos interiormente. Não é assim que diferenciamos alguém em sã consciência e algum lunático? Um jovem de um idoso? Como sabemos quem são os prostitutos e meretrizes quando andamos pelas estradas? Acaso não é pelas roupas que vestem? Uma pessoa reservada geralmente não descobre muito o seu corpo, não é mesmo? Assim como homens muito fortes (e orgulhosos) geralmente usam camisetas mais apertadas para todos notarem que seus músculos, também as mulheres (orgulhosas) geralmente se vestem com toda sorte de brilho e pompa para chamarem a atenção. Digo isto para inicialmente provar que a própria natureza nos ensina que o vestir indica quem nós somos ou quais são nossos desejos e impressões que intentamos passar quando nos vestimos.

É triste ter de falar sobre isto, mas quantos são os homens e mulheres de nossos dias (e dentro das igrejas - para nossa vergonha!) que vivem tão somente para aparecem, muitas vezes colocando seus corpos à exposição do mundo e pensando interiormente: "Com esta roupa eu vou ser notado, os homens olharão para mim e me desejarão" (o inverso vale para os homens). Meus amados, é certo que não conseguiremos extirpar todos os maus pensamentos de nosso coração e continuamente teremos de lutar contra este tipo de pensamento, mas uma coisa é certa: nós devemos ser diferentes do mundo! A santidade do cristão deve estar imediatamente refletida em suas roupas. Tal qual a meretriz se diferencia do restante da sociedade por suas roupas, assim também o crente deve buscar ter uma distinção e modéstia no seu vestir.

Observemos em Marcos 5.1-15 e notemos a diferença daquele endemoniado. Como ele era antes da libertação? "E andava sempre, de dia e de noite, clamando pelos montes, e pelos sepulcros, e ferindo-se com pedras" (Mc 5.5). Eis, então, como foi encontrado após ter sido liberto: "E foram ter com Jesus, e viram o endemoninhado, o que tivera a legião, assentado, vestido e em perfeito juízo, e temeram" (Mc 5.15). Ainda que o texto não diga que anteriormente ele estava nu ou com poucas roupas, basta ver que havia sido acorrentado várias vezes, constantemente se cortava com as pedras e as roupas não eram abundantes naquele tempo e não eram compradas em qualquer lugar (agora sim é importante verificar o contexto). Mas, independente disto, a inferência lógica por meio de como foi encontrado posteriormente - "vestido e em perfeito juízo" -, nos leva a entender que anteriormente, no mínimo, ele não andava corretamente vestido (o mais provável é que andasse sem roupa ou com ela toda rasgada e aparecendo livremente partes indevidas de seu corpo).

Outro texto muito evidente é este: "Não haverá prostituta dentre as filhas de Israel; nem haverá sodomita dentre os filhos de Israel" (Dt 23.17). Sabemos muito bem que este versículo não está falando de roupas, contudo, o paralelo que fazemos é sobre as roupas que hoje temos e que podem levar outros a se prostituírem (ou a própria pessoa que usa se torna alguém que vende a imagem de seu corpo) ou ainda as pessoas que não se prostituem diretamente, mas andam pelas ruas e igrejas causando a prostituição e adultério visual no próximo. Seria isto uma atitude aceitável diante do Senhor? Lembremos do santo provérbio que diz: "Pois quando a sabedoria entrar no teu coração, e o conhecimento for agradável à tua alma, O bom siso te guardará e a inteligência te conservará; Para te afastar do mau caminho, e do homem que fala coisas perversas... Para te afastar da mulher estranha, sim da estranha que lisonjeia com suas palavras; Que deixa o guia da sua mocidade e se esquece da aliança do seu Deus; Porque a sua casa se inclina para a morte, e as suas veredas para os mortos" (Pv 2.10-12; 16-18). Ora, se as palavras do homem mau e da mulher estranha (meretriz - vide contexto e demais versículos) já devem ser evitadas pelo cristão, quanto mais o utilizar-se de roupas que levam o próximo (e a si mesmo) a se esquecer "da aliança do seu Deus"!

O que é nudez para a Bíblia?

Primeiramente temos a passagem de Isaías 47. O texto diz: "Desce, e assenta-te no pó, ó virgem filha de babilônia; assenta-te no chão; já não há trono, ó filha dos caldeus, porque nunca mais serás chamada a tenra nem a delicada. Toma a mó, e mói a farinha; remove o teu véu, descalça os pés, descobre as pernas e passa os rios. A tua vergonha se descobrirá, e ver-se-á o teu opróbrio; tomarei vingança, e não pouparei a homem algum" (Isaías 47:1-3).

Aqui, a Bíblia trata da Babilônia como sendo uma mulher envergonhada e castigada pelo Senhor - já não sentaria mais no "trono", mas sim "no chão", mostrando a ira de Deus sobre tal reino. No hebraico a palavra para "pernas" é "Showq" (qwX), que significa "perna, coxa" [1] - a versão King James traduz por "coxa", enquanto a Almeida Corrigida Fiel traduz por "perna". Assim, quando o Senhor profere a maldição sobre a Babilônia, Ele diz que ela teria sua perna/coxa descoberta e sua vergonha seria vista por todos - nos dando um primeiro padrão de que roupas acima da linha dos joelhos significam vergonha, isto é, algo não lícito e que traz vexame para quem as veste (além de ir contra a Lei de Deus). Na verdade, a própria natureza nos mostra que a sociedade tem por "modesta" um roupa que vá até a linha dos joelhos. Embora o texto se dirija especificamente à mulher, por implicação e boa dedução é também aplicado ao homem (inclusive quando se realizam esportes e divertimentos informais). Este entendimento precisa ficar bastante latente para nós, pois nem sempre a palavra nudez, nas Escrituras, significa alguém completamente sem roupa. O padrão bíblico para determinar que alguém está nu é simplesmente ter suas coxas aparecendo ou estar sem camisa, por exemplo (vide que Adão e Eva usavam aventais/tangas e depois tiveram todo o seu corpo coberto).

Também temos o texto de 1Timóteo 2.9: "Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos".

A palavra "traje" (na King James - "roupa/vestuário") no grego é "Katastole" (katastole) que significa "deixado para baixo, uma peça de roupa deixada para baixo, vestido/vestuário". [2] Assim, entendemos que a roupa que a mulher deve buscar usar é sempre "para baixo" do corpo. Mas quanto "para baixo" deve ser? Ora, se para acima da coxa é vergonhoso (versículos anteriores), então necessariamente deve tampar o corpo desde o peito/colo (vide Provérbios, acima citado) até acima da linha da coxa. Este entendimento é reforçado ao nos recordarmos de que Adão e Eva tiveram todo o seu corpo coberto – não nos é dito que Eva, por exemplo, deixava parte de seu abdômen (ou costas) aparecendo ou que Adão dividiu a túnica ao meio para apenas usar a parte de baixo e ficar sem camisa em outros momentos (veremos melhor sobre este ponto posteriormente).

Lemos também em Gênesis 3.21: "E fez o SENHOR Deus a Adão e à sua mulher túnicas de peles, e os vestiu". Como vimos no estudo passado, a palavra "túnicas" em hebraico é "Kethoneth" (tntk) e significa "túnica, uma longa veste'. [3

Uma vez que as Escrituras não podem conter variação e os cristãos prezam, portanto, por Sua unidade, então esta palavra "túnica/longa veste", aliada à "traje" e relacionada à "coxa", nos dá o entendimento de que a roupa feminina consiste em cobrir a parte superior, ser relativamente larga (em contraposição aos aventais feitos pelo homem e mulher - Gn 3.7) a ponto de não revelar a forma do corpo (pois é isto que uma túnica também faz) e longa o suficiente para cobrir, no mínimo as coxas - tanto estando de pé, como se inclinando e sentando (em todas as ocasiões em público, em família, com amigos - exceto, é claro, na intimidade do casamento) - veremos posteriormente sobre a túnica também utilizada pelos homens.

Jeff Polard comenta: "Embora não tenhamos qualquer imagem das vestes de Adão e Eva, a palavra traduzida por vestimenta é usada em todo o Antigo Testamento para expressar a ideia de uma veste semelhante a uma túnica... Esta vestimenta semelhante a uma camisa, geralmente tinha mangas longas e se estendia até o tornozelo, quando usado como veste formal."

Algumas fontes fornecem este entendimento:

Zondervan Pictorial Encyclopedia of the Bible: "Os trabalhadores comuns, escravos e prisioneiros usavam uma túnica mais curta – às vezes, até aos joelhos, sem mangas."
The New Brown-Drives-Brigg-Genesius Hebrew-English Lexicon: "Era a roupa mais comum usada por um homem e uma mulher, próxima ao corpo."
James Strong, Exaustive Concordance of the Bible: "Era uma vestimenta comprida, semelhante a uma camisa, feita geralmente de linho."
The International Standard Bible Encyclipedia: "Se assemelha a uma 'túnica' romana, correspondendo quase que ao nosso 'blusão', indo sempre abaixo dos joelhos e, quando feita para ocasiões que exigiam vestes formais, chegavam quase até o chão".
Wycliffe Bible Encyclopedia: "...enquanto o modelo mais simples não tinha mangas, indo somente aos joelhos."
New Bible Encyclopedia: "Era feita de linho ou lã, chegando até os joelhos ou aos tornozelos."

Pollard conclui: "Todas essas fontes concordam neste fato... ela [a túnica] cobria o corpo desde, pelo menos, o pescoço até aos joelhos, enquanto, às vezes, alcançava o meio da panturrilha ou ia até aos pés." [4]

Certamente que algumas pessoas irão discordar de nossa abordagem, pois dirão - o que já prevemos anteriormente - que isto é especulação humana e nada tem a ver com nossa cultura, afinal, não temos um único versículo que diga qual deve ser o tamanho da roupa do homem e da mulher. Porém, sequer perderemos tempo buscando refutar esta esdrúxula objeção, por que se a Bíblia, o santo manual dos filhos de Deus, não fala sobre isto, onde buscaremos os limites para nossas vestimentas? Em Hollywood? Na moda atual, nos atores e atrizes, no gosto pessoal, na tradição familiar? Se assim fosse, então ninguém poderia dizer que tal roupa e tal comprimento é ilícito, pois se não há uma regra, tudo é relativo e necessariamente deve ser permitido - coisa que só de pensar já causa nojo e respulsa.

A visão de João da revelação de Deus, descreve: "E os quatro animais tinham, cada um de per si, seis asas, e ao redor, e por dentro, estavam cheios de olhos; e não descansam nem de dia nem de noite, dizendo: Santo, Santo, Santo, é o Senhor Deus, o Todo-Poderoso, que era, e que é, e que há de vir" (Ap 4.8). O que os animais cantavam? "Mau, mau, mau, é o Senhor Deus"? É claro que não! Se assim será quando aprouver ao Eterno, por que ainda alguns insistem em dizer que o padrão de modéstia determinado por Deus é mal? Acaso se julgam melhores do que aqueles seres divinos?

A Bíblia revela que a Palavra de Deus é justa e correta em tudo que ordena e prescreve:

- "Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita, porque todos os seus caminhos justos são; Deus é a verdade, e não há nele injustiça; justo e reto é" (Dt 32.4);
- "A lei do SENHOR é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do SENHOR é fiel, e dá sabedoria aos símplices" (Sl 19.7);
- "Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecidiço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito" (Tg 1.25).

Também nos prescreve que precisamos buscar seguir estas ordenanças:

- "Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus" (Mt 5.48);
- "Se me amais, guardai os meus mandamentos" (Jo 14.15);
- "Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor... Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando" (Jo 15.10, 14).

Notas:
[1] Fonte: http://www.biblestudytools.com/lexicons/hebrew/kjv/showq.html  - acessado dia 10.07.2012.
[2] Fonte: http://www.biblestudytools.com/lexicons/greek/kjv/katastole.html - acessado dia 10.07.2012
[3] Fonte: http://www.biblestudytools.com/lexicons/hebrew/kjv/kethoneth.html - acessado dia 10.07.2012
[4Todas as citações foram extraídas do livro do autor, "Deus o Estilista", Ed. FIEL, págs. 20-21 - http://issuu.com/editorafiel/docs/deus_o_estilista (acessado dia 29.07.2012)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Salvar PDF

Compartilhe

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

pop-up LIKE