"Eu me confesso ser do número daqueles que, aprendendo, escrevem; e escrevendo aprendem" - Agostinho

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Como Entender a Passagem Bíblica de João 3.16?


"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (Jo 3.16).

Muitas pessoas acabam tendo certas dúvidas sobre qual a maneira correta de se interpretar este versículo, pois como conciliar esta passagem com outras, como, por exemplo, "Amei a Jacó, e odiei a Esaú" (Rm 9.13) ou ainda, "Logo, pois, compadece-se de quem quer, e endurece a quem quer" (Rm 9.18)? Embora pareçam ser expressões contraditórias, de maneira breve veremos que longe de disparidade, na verdade, há uma unidade.

Em primeiro lugar, é preciso considerar que a palavra "amou" pode possuir vários significados: 1. Amar incondicionalmente ("eu amo minha esposa pelo o que ela é"); 2. Um certo tipo de amor específico ("o amor entre pai e filho é sem igual"); 3. Um amor limitado ("amo meus gatos, mas não mais que minha esposa"); 4. Um amor que pune ("o pai disciplina o filho que ama"); 5. Um falso amor ("eu te amo mais do que tudo nessa vida").

Igualmente "mundo" pode significar várias coisas distintas: 1. O planeta Terra ("o mundo onde vivemos)"; 2. Todo o Universo ("todo o mundo criado por Deus"); 3. Todas as pessoas de todo o mundo ("todos os habitantes do mundo"); 4. Todas as pessoas de determinado lugar ("o mundo reunido em nossa cidade"); 5. Algumas pessoas de determinado lugar ("todo mundo veio ao meu aniversário")...

Em segundo lugar, as Escrituras dizem, conforme vimos acima, que Deus amou a Jacó, mas odiou a Esaú (Rm 9.13). Quando lemos a narrativa no Antigo Testamento de onde é extraído esta passagem, entendemos claramente que por algum motivo, Deus não desejou salvar Esaú. Entretanto, o próprio Paulo já sabia que alguns irmãos iriam ter dificuldades, e, quem sabe, replicariam dizendo que o Senhor, então, é injusto - ao passo que ele já os responde: "Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma" (Rm 9.14). A resposta das Escrituras para que isto aconteça é: "Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece" (Rm 9.15-16). Em outras palavras, Deus que é soberano faz o que desejar com toda a Sua criação (Rm 9.21).

Em terceiro lugar, pode surgir a dúvida: "Deste jeito ninguém é responsável por coisa alguma, porque se Deus já decretou quem se salvará, não adianta pregarmos o evangelho ou buscarmos viver piedosamente, afinal, tudo já está determinado." Paulo também sabia que pessoas teriam este pensamento e disse: "Dir-me-ás então: Por que se queixa ele ainda? Porquanto, quem tem resistido à sua vontade? Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?" (Rm 19-20). De modo resumido, Paulo afirma que os homens pecadores e finitos não devem buscar contender com Deus, e sim tão somente O obedecer e buscar progredir em suas responsabilidades (Fp 2.12).

Voltemos para a passagem principal que estamos vendo e a dividamos em algumas partes:

1. "Porque Deus amou o mundo" - por si só estas palavras não nos comunicam quem, quantos e onde estão aqueles a quem Deus amou, pois conforme vimos, muitas podem ser as interpretações para a palavra amor e também para a palavra mundo.

2. "de tal maneira que deu o seu Filho unigênito" - aqui temos a expressão ímpar do Senhor ao afirmar que por certa quantia de pessoas (que ainda não sabemos quem é, vamos aos poucos compreendendo), o Pai enviou Seu único Filho para morrer.

3. "para que todo aquele que nele crê" - neste ponto encontra-se a chave para determinarmos quem são as pessoas pelas quais o Filho morreu: todos aqueles que creram, creem e crerão no Seu nome.

4. "não pereça, mas tenha a vida eterna" - a recompensa, portanto, para este crer, é que os cristãos verdadeiros não irão perecer na condenação eterna, mas sim terão plena vida jubilosa e sem fim ao lado do Senhor.

O entendimento desta passagem é que Deus amou todos aqueles que creem no Filho de Deus e que são amados por Ele. Todavia, como nem todas as pessoas serão salvas, Deus amou ao mundo (quantidade específica de pessoas) que crê no Seu nome e este são aqueles de quem Jesus diz: "Mas vós não credes porque não sois das minhas ovelhas, como já vo-lo tenho dito. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão" (Jo 10.26-28).

Assim, Deus amou os Seus filhos que são regenerados por Ele mesmo, pois só estes ouvem a Sua voz e creem de modo salvífico em Seu Filho.

15 comentários :

  1. Essa é realmente uma das passagens prediletas dos arminianos e universalistas. Na verdade, os arminianos, em minha opinião, transitam entre universalismo e alguma espécie camuflada de limitação na expiação.

    Abordei Jo 3:16 em nossa postagem "O amor limitado de Deus", na Parte 1. Convido-o e a todos os seus leitores para lerem e opinarem:

    http://www.filosofiacalvinista.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. olá tenho acessado constantemente este blog - bons artigos - Deus continue te abençoando lendo este seu comentário sobre João 3.16 com certeza Deus não só amou os filhos que são regenerados, mas ,amou toda a humanidade, pois todos pecaram e estão destituídos da Glória de Deus - porém muitos rejeitam está dádiva Divina na qual Cristo morreu na Cruz do calvário trazendo a Salvação . Danilo -

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danilo Ribeiro, aceito sua resposta, desde que venha fundamentada nas Escrituras.

      Um abraço e obrigado pelas visitas.

      Excluir
    2. Meu caro Felipe!

      Sou filho da IPCB e sei que nem todos são eleitos mas, a sua exegese deste versículo é forçada.

      Não vou apresentar nemhum texto só pedir para o irmão orar e com humildade e sem pressupostos fazer de novo uma análise de João 3:16.

      Mário

      Excluir
  3. Como entender I corintios 14. Onde fala dos dos de linguas e profetizar. Essa lingua e realmente aquelas que se fala nas igrejas? Linguas estranhas. Existe aindo hoje a profecia?

    ResponderExcluir
  4. como nosso irmão filipe disse que nossa resposta teve ser fundamenta nas Escrituras -
    - só lembrando o próprio Calvino não cria na Expiação Limitada. na visão calvinista Cristo morreu apenas pelos Eleitos
    a Bíblia diz ao contrário . que Cristo morreu por toda humanidade (jo3v16)- se Cristo morreu só pelos eleitos - o versículo de Jo 3v16 deveria ser escrito assim;
    Deus amou os "eleitos" de tal maneira que deu....... para que todo "eleito" que nele crer.....
    mas não está escrito assim.
    um pergunta para o filosofo Calvinista- me mostre um versículo que mostre que Cristo morreu só pelos Eleitos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danilo, apenas para não nos delongarmos inutilmente: o amado crê na soberania plena e absoluta de Deus? Porque se crê, vai confirmar o dito bíblico de que os homens não conseguem ir até Deus - assim sendo, o Senhor precisa ir até o homem e o retirar, justificar, santificar e o levar para a vida com Ele. Ademais, se Cristo tivesse morrido por todas as pessoas, Seu sangue teria vertido inutilmente por muito, afinal, como bem sabemos, milhares ou milhões não serão salvos.

      Excluir
  5. Olá filipe - é verdade sempre teve e sempre terá divergências Teológicas - "ensinos arminianos e calvinismo" vem de tempos atrás,acho também que será um "debate" em vão - Creio na Soberania Divina sim - e não estou defendo o universalismo doutrina errada - apenas disse que Cristo morreu por toda humanidade e não apenas pelos eleitos, que a Expiação é Limitada na aplicação e Ilimitada na sua extensão.
    o ser humano necessita da Graça Divina para se achegar-se a Ele
    com todo certeza - isto é claro nas Escrituras - porém muitos rejeitam esta Graça. só fiz o comentário pois, tem irmãos que chegam ao extremo e "bate no peito" e diz sou calvinista. primeiro, os irmãos se esquecem que somos Cristãos, crentes em Cristo Jesus - firmados pela graça Divina na palavra de Deus e não em "argumentos filosóficos etc.
    Deus te abençoe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danilo, se é ilimitada na extensão, então o sangue de Cristo verteu em vão por alguns. Melhor é dizer que o sangue de Cristo, se assim quisesse, teria poderia para alcançar todas as pessoas - aí todos seriam salvos.

      A sentença "expiação limitada" não significa diminuir o poder de salvação do sangue de Cristo, mas sim a extensão. Não há como ela ser limitada e ao mesmo tempo extensiva. Sustentar que ela é "potencialmente" extensiva também contrariaria, por exemplo, João 10.

      Excluir
  6. irmão filipe - meu ultimo comentário a respeito deste texto certo.- : A obra redentora de Cristo tornou possível a salvação de todos, e assegurou a salvação dos que crerem. Embora Cristo tenha morrido por todos os homens, em
    geral, e em favor de cada um, em particular, somente aqueles que crêem nEle são salvos. A morte de Cristo liberou o perdão de Deus a todos os pecadores e expiou o pecado
    de todos. Mas a redenção de Cristo só se torna efetiva se o homem escolhe aceitá-la.
    até.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danilo, anteriormente você falou que cria na soberania - como, então, o homem morto em seus pecados por escolher ao Senhor?

      Se tiver algum tempo, lhe recomendo as pregações no capítulo de Efésios - elas estão em .pdf e podem ser baixadas aqui: http://2timoteo316.blogspot.com.br/2012/08/download-de-todas-as-pregacoes-no_15.html

      Que o Senhor te ilumine para a Verdade.

      Excluir
  7. Filipe - Creio na Soberania Divina e diz que o homem só pode se achegar-se a Ele pela sua Graças -e a respeito de "mortos espirituais ., 1-) Morte espiritual, significa que seres caídos estão totalmente separados de Deus, mas não completamente anulados por Ele – os pecados fazem separação do homem para com Deus Is.59 . A morte não significa a destruição total da capacidade de ouvir e de responder a Deus, mas uma separação completa de Deus
    2-) mesmo estando espiritualmente “mortos”, os não salvos podem perceber a verdade de Deus. Em romanos , Paulo declara que a verdade de Deus é “vista claramente” e “compreendida”por elas, de forma que são “indesculpáveis” Rm. 1.20. Adão e Eva mesmo espiritualmente “mortos” após ter comido do fruto proibido, Todavia, ainda puderam ouvir a voz de Deus e responder a ele.
    3-) “mortos” podemos entender por figuras de linguagem para descrever o estado caído do ser humano, também é descrito como “doença” Mt.9v12.
    Depravação envolve a corrupção da vida, mas não a destruição. A imagem de Deus nos seres caídos está desfigurada, mas não apagada, -Deus fez o homem segundo sua imagem Gn.9v6 – e Tg.3 v.9
    4-) se a expressão “mortos” diz respeito a uma espécie de aniquilação espiritual, antes que a uma separação, então a “segunda morte” (ap.20.14) seria uma aniquilação eterna também. doutrina esta rejeitada pela bíblia.
    disse que seria meu ultimo comentário não "aguentei" -rsrs

    ResponderExcluir
  8. Gostaria de parabenizar os dois irmãos pelo belo debate teológico, cada um defendendo a sua doutrina, mas, com ética Crista.mas, o importante é saber que tanto o armeniano, como o calvinista pode ser salvo por Jesus, se confessar com a sua boca e crer que o Senhor Jesus é o filho de Deus.e confessa-lo como SENHOR E SALVADOR.

    ResponderExcluir
  9. Bem, eu creio que só podemos entender este versículo se entender pra que Jesus morreu. 1) vejo que foi para salvar, 2) a morte dele é eficaz e seu sangue não poderia ser derramado em vão, ou seja, a morte e o sangue dele, derramado, pagou nossa dívida para com Deus (Cl 2.14). 3) Ele foi o nosso substituto, nossa condenação caiu sobre Ele. 4) Ele deu a vida por suas ovelhas (Jo 10.15). 5) A morte dele removeu a ira de Deus (Rm 3.25).

    Sabendo disso, e um pouquinho mais, podemos entender, logicamente, que Ele não morreu por todos, mas apenas por aqueles que escolheu antes da fundação do mundo (Ef 1.4-5). Pois, se Ele morreu por todos, então, todos, no final, serão salvos. E por quê? Por que se Ele morreu por todos então Deus não está mais irado, Jesus pagou os pecados de todos e agora já não consta mais nenhuma condenação para ninguém, pois a morte tanto foi eficaz quanto vicária (substituta). E se Ele é o substituto de todos, então todos tem que ser salvos, pois, se assim não for, todos os que forem para o inferno estarão onde não poderiam estar, uma vez que sua dívida foi paga na cruz. Se Ele morreu por todos então todos terão que ser salvos, pois seu sangue não pode ser derramado em vão, a ira de Deus não pode ser removida e depois trazida de volta ao pecador, uma vez que o sangue d Jesus aplacou, removeu ela. Para se entender João 3.16 não se pode fugir da lógica teológica. Tem que ter lógica. Se não entendermos o motivo da morte não podemos entender porque Ele morreu só pelos eleitos.

    Soli Deo Gloria

    Elvis Kelvin

    ResponderExcluir
  10. "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (jo 3.16). Esta é a obra de Deus pra reconciliar consigo as pessoas decaídas no pecado. Esta obra é pura graça para nós. Aqui nos é dado o livre arbítrio - ênfase "todo aquele que crê" - ou seja, que aceita e crê nesta obra de Jesus. Todos - ninguém está em vantagem sobre o outro, não há prediletos - são alvos da salvação. Quem julga é o próprio Deus, não cabe a nós.

    Alfredo Malikoski

    ResponderExcluir

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Salvar PDF

Compartilhe

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

pop-up LIKE