"Eu me confesso ser do número daqueles que, aprendendo, escrevem; e escrevendo aprendem" - Agostinho

Se inscreva no meu canal do YouTube!

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Como Saber se Você é um Cristão de Verdade (parte 1/3)



Os Demônios Possuem um Conhecimento de Deus

“Tu crês que há um só Deus. Bom! Até os demônios crêem, e estremecem” (Tg 2.19). Como você sabe se pertence a Deus? Nós vemos nestas palavras que algumas pessoas dependem de uma evidência de que são aceitas junto a Deus. Algumas pessoas pensam que estão em uma boa posição diante de Deus se não forem tão ruins como algumas pessoas más. Outras pessoas apontam para a história de suas famílias ou para a membresia da igreja para mostrar que Deus as aprova. Existe um programa evangelístico em uso comum que faz as pessoas algumas perguntas. Uma das perguntas é: “Suponha que você fosse morrer hoje. Por que Deus deveria deixar você entrar no paraíso?” Uma resposta muito comum é: “Eu creio em Deus”. Aparentemente o apóstolo Tiago conhecia pessoas que diziam a mesma coisa: Eu sei que estou no favor de Deus, porque eu conheço essas doutrinas religiosas.

É claro que Tiago admite que este conhecimento é bom. Não só é bom, mas também necessário. Ninguém que não crê em Deus pode ser um cristão; e mais do que isto, ninguém que não crê no Único Deus Verdadeiro. Isto é particularmente verdade para aqueles que tiveram a grande vantagem de conhecer pessoalmente o apóstolo, alguém que poderia contar-lhes em primeira mão das experiências que tivera com Jesus, o Filho de Deus. Imagine o grande pecado de uma pessoa que, tendo então conhecido Tiago, se recusou a crer em Deus! Certamente isto faria sua condenação ainda maior. Obviamente, todo cristão sabe que esta boa crença no Único Deus é somente o início, porque “qualquer um que dele se aproxima deve crer que ele existe e recompensa os que sinceramente o buscam” (Hb 11.6).

No entanto, Tiago é claro em destacar que embora esta crença seja uma coisa boa, ela não prova definitivamente que uma pessoa é salva. O que ele quer dizer é isto: “Você diz que é um cristão e está no favor de Deus. Você pensa que Deus o deixará entrar no paraíso, e a prova disto é que você crê em Deus. Mas isto não é evidência alguma, pois os demônios também crêem, e têm a certeza de que serão punidos no inferno”. Os demônios crêem em Deus, você pode ter certeza disto! Eles não somente acreditam que Ele existe, mas acreditam que Deus é um Deus santo, um Deus que odeia o pecado, um Deus de verdade, que prometeu julgamentos e realizará sua vingança sobre eles. Esta é a razão porque os demônios “estremecem” ou tremem – eles conhecem a Deus mais claramente que a maioria dos seres humanos, e eles estão apavorados. No entanto, nada na mente do homem é tão inexperenciável aos demônios, quanto qualquer sinal de certeza da graça de Deus em nossos corações.

Este raciocínio pode ser facilmente seguido. Suponha que os demônios pudessem ter, ou encontrar dentro de si, algo da graça salvadora de Deus – evidentemente eles iriam para o paraíso. Isto provaria que Tiago estava errado. Mas que absurdo! A Bíblia deixa claro que os demônios não têm esperança de salvação, e sua crença em Deus não elimina sua futura punição. Portanto, crer em Deus não é prova de salvação para os demônios, e é seguro dizer, que não o é para os homens também.

O Conhecimento de Deus Apenas, Não é Prova de Salvação

Isto é sempre visto mais claramente quando nós pensamos acerca do que são os demônios. Eles são profanos: qualquer de suas experiências, não pode ser uma experiência santa. O diabo é perfeitamente perverso. “Vocês pertencem ao seu pai, o Diabo, e querem realizar o desejo do vosso pai. Ele foi um assassino desde o princípio, não firmado na verdade, pois não há verdade nele. Quando ele mente, fala sua linguagem natural, porque ele é um mentiroso e o pai da mentira” (Jo 8.44). “Aquele que pratica o pecado é do Diabo, pois o Diabo tem pecado desde o princípio” (1 Jo 3.8). Portanto, os demônios são chamados de espíritos malignos, espíritos imundos, potestades das trevas, e assim por diante. “Porque nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra os principados, contra as autoridades, contra os poderes deste mundo tenebroso e contra as forças espirituais do mal nos lugares celestiais” (Ef 6.12). Por isso, é claro que qualquer coisa nas mentes dos demônios não pode ser santa, ou conduzir a verdadeira santidade por si mesma. Os demônios conhecem claramente muitas coisas sobre Deus e a religião, mas eles não possuem um conhecimento santo. As coisas que eles sabem em suas mentes podem fazer impressões em seus corações – sem dúvida nós vemos que os demônios têm fortes sentimentos a respeito de Deus; tão fortes, de fato, que eles “estremecem”. Mas não são sentimentos santos, pois eles nada têm a ver com a obra do Espírito Santo. Se isto é verdade acerca da experiência dos demônios, também é verdade sobre a experiência dos homens.

Note isto, que não importa quão genuínos, sinceros e poderosos estes pensamentos e sentimentos são. Demônios, sendo criaturas espirituais, conhecem Deus de uma maneira que os homens na terra não podem. Seu conhecimento sobre a existência de Deus é mais concreto que qualquer conhecimento humano possa ser. Porque eles estão presos na batalha com as forças do bem; o conhecimento deles é igualmente sincero. Em certa ocasião, Jesus expulsou alguns demônios. “O que queres conosco, Filho de Deus?” eles gritaram. “Viestes aqui para nos torturar antes do tempo?” (Mt 8.29). Qual experiência poderia ser mais clara do que esta? No entanto, embora seus pensamentos e sentimentos sejam genuínos e poderosos, eles não são santos.

Também podemos ver que os sagrados objetos de seus pensamentos não fazem destes pensamentos e sentimentos santos. Os demônios sabem que Deus existe! Mateus 8.29 mostra que eles sabem mais sobre Jesus do que muitas pessoas! Eles estão inteiramente certos de que Jesus os julgará algum dia, porque Ele é santo. Mas está claro que genuínos, sinceros e poderosos pensamentos e sentimentos acerca do sagrado, das coisas espirituais, não é prova da graça de Deus no coração. Os demônios possuem estas coisas, e olham prontamente para o castigo eterno no inferno. Se os homens não possuem mais do que aquilo que os demônios possuem, eles sofrerão da mesma forma.

Experiências Religiosas Não São Provas de Salvação

Nós podemos fazer diversas conclusões baseadas nestas verdades. Em primeiro lugar, não importa o quanto as pessoas possam conhecer acerca de Deus e da Bíblia, isto não é um sinal certo de salvação. O Diabo, antes de sua queda, foi uma das mais brilhantes estrelas da manhã, uma chama de fogo, uma excelência em força e sabedoria (Isaías 14.12, Ezequiel 28.12-19). Aparentemente, como um dos comandantes angelicais, Satanás conhecia muito sobre Deus. Agora que ele está caído, seu pecado não tem destruído suas memórias anteriores. O pecado destrói a natureza espiritual, não as habilidades naturais, tais como a memória. Que os anjos caídos possuem muitas habilidades naturais pode ser visto em muitos versículos bíblicos, por exemplo: Efésios 6:12 “Porque nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra os principados, contra as autoridades, contra os poderes deste mundo tenebroso e contra as forças espirituais do mal nos lugares celestiais”. Do mesmo modo, a Bíblia diz que Satanás é “mais astuto” do que outros seres criados (Gn 3:1, 2 Cor 11:3, At 13:10). Portanto, podemos ver que o Diabo sempre teve grande habilidade mental e é capaz de saber muito acerca de Deus, do mundo visível e do invisível, e muitas outras coisas. Desde o princípio, seu trabalho foi ser um comandante angelical diante de Deus, e é natural que a compreensão destas coisas tenha sido sempre o primeiro de seus mais importantes interesses, e que todas as suas atividades têm a ver com estas áreas de pensamentos, sentimentos e conhecimentos.

Porque este era seu trabalho original, ser um dos anjos bem diante da face de Deus, e o pecado não destrói a memória, fica claro que Satanás sabe mais sobre Deus que qualquer outro ser criado. Depois da queda, nós podemos ver suas atividades como um tentador, etc. (Mt 4:3), que ele tem gasto seu tempo aumentando seu conhecimento e suas aplicações práticas. Que seu conhecimento é grande, pode ser visto no quão esperto ele é ao tentar as pessoas. A astúcia de suas mentiras mostra o quão inteligente ele é. Certamente ele não poderia manejar seus truques tão bem sem um efetivo e verdadeiro conhecimento dos fatos. Esse conhecimento acerca de Deus e suas obras vem desde o princípio. Satanás estava lá desde a criação, como Jó 38:47 mostra: “Onde estava você quando eu lancei os fundamentos da terra? Digame, se você entende... enquanto as estrelas da manhã cantavam juntas e todos os anjos gritavam de alegria?” Assim, ele deve saber bastante sobre o modo como Deus criou o mundo, e como Ele governa todos os eventos no universo. Por outro lado, Satanás tem visto a maneira como Deus tem trabalhado seu plano de redenção no mundo; e não como um espectador inocente, mas como um ativo inimigo da graça de Deus. Ele viu a obra de Deus nas vidas de Adão e Eva, Noé, Abraão e Davi. Ele deve ter se interessado especialmente na vida de Jesus Cristo, o Salvador dos homens, a Palavra encarnada de Deus. Quão de perto ele observou Cristo? Quão atentamente ele observou seus milagres e ouviu suas palavras? Isso é porque Satanás se colocou em oposição a obra de Cristo, e para seu tormento e angústia é que Satanás assistiu o sucesso do desenrolar da obra de Cristo. Satanás, então, conhece muito sobre Deus e Sua obra. Ele conhece o paraíso de primeira-mão. Ele conhece o inferno também, com conhecimento pessoal como seu primeiro morador, e tem experimentado seus tormentos por todos estes milhares de anos. Ele deve ter um grande conhecimento bíblico; ou pelo menos, podemos ver que ele conhecia o bastante para objetivar tentar nosso Salvador. Além disso, ele esteve por muitos anos estudando os corações dos homens, seu campo de batalha onde luta contra nosso Redentor. Quais trabalhos, esforços e cuidados o Diabo teve ao longo dos séculos para levar os homens ao engano. Só um ser com seu conhecimento e experiência da obra de Deus, e do coração humano, poderia imitar assim a verdadeira religião e transformar-se em um anjo de luz (2 Coríntios 11:14).

Portanto, podemos ver que não é por alguma quantidade de conhecimento acerca de Deus e da religião que podemos provar que uma pessoa foi salva dos seus pecados. Um homem pode falar sobre a Bíblia, Deus e a Trindade. Ele pode ser capaz de pregar um sermão sobre Jesus Cristo e tudo o que Ele tem feito. Imagine, alguém pode falar sobre o caminho da salvação e a obra do Espírito Santo nos corações dos pecadores, talvez até o suficiente para mostrar a outros como se tornarem Cristãos. Todas estas coisas podem edificar a igreja e iluminar o mundo, mas ainda assim não são uma prova segura da graça salvadora de Deus no coração de uma pessoa. Também pode-se ver que o mero fato de uma pessoa concordar com a Bíblia não é um sinal seguro da salvação. Tiago 2:19 mostra que os demônios realmente, verdadeiramente, acreditam na verdade. Assim como eles crêem que há um só Deus, eles concordam com toda a verdade da Bíblia. 

O Diabo não é um herege: todos os artigos de sua fé estão firmemente estabelecidos na verdade. Deve ser entendido que quando a Bíblia fala sobre crer que Jesus é o Filho de Deus, como uma prova da graça de Deus nos corações, não significa um mero assentimento da verdade, mas um outro tipo de crença. “Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus” (1 João 5:1). Este outro tipo de crença é chamado de “a fé dos eleitos de Deus e o conhecimento da verdade que conduz a santidade” (Tito 1.1). Há uma firmeza espiritual na verdade, a qual será explicada mais tarde.

por Jonathan Edwards (1703-1758)
Tradução: Nelson Ávila

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Compartilhe

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

pop-up LIKE

Plugin