"Eu me confesso ser do número daqueles que, aprendendo, escrevem; e escrevendo aprendem" - Agostinho

Se inscreva no meu canal do YouTube!

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Homens que Dormem com Mulheres Mortas



Talvez muitos já tenham ouvido falar do vietnamita que dorme ao lado de sua esposa falecida há mais de nove anos. [1] Embora a situação descrita seja um tanto quanto estranha e os motivos pareçam não ser dos mais nobres, muitos homens têm feito algo semelhante ao exposto na reportagem.

Como é sabido dos cônjuges, o casamento é um pacto, uma aliança, um testamento, um voto que obriga cada parte ao consentimento mútuo, respeito, amor ao próximo e dedicação permanente pelo bem alheio que é igualmente seu. Entretanto, com grande tristeza se percebe que muitos homens estão sendo mais influenciados por Hollywood do que pelas Escrituras de nosso Senhor.

Homens têm casado e prometido para suas esposas que as amariam "na saúde e na doença, na alegria e na tristeza", mas quase nada realizam no cotidiano para que este voto seja cumprido. Muitos têm encarado o casamento como um acréscimo ao jogo de futebol semanal, viagem com os amigos, gastar dinheiro consigo mesmo e, então, por fim, ter também a devida benevolência de suas amadas. Para ser mais objetivo, muitos pensam que casar é apenas acrescer relação sexual a todas as atividades de solteiro que antes já executavam. A verdade, contudo, é que os que assim agem acabam por tratar suas esposas como se fossem "coisas" ou objetos de prazer momentâneo - e quando não obteem o que desejam são ávidos a reclamar e depositar todos os problema nela.

Não, eu não estou dizendo que nossas esposas não possuem defeitos e pecados que devem ser consertados e removidos da prática cristã, mas sim que é preciso que os homens reconheçam que o casamento envolve renúncia, abnegação da própria vontade e um viver de servo para com o cônjuge. Não, eu também não estou dizendo que os homens devem deixar de serem masculinos e passarem a ser vassalos do relacionamento - pois isso seria contrário às Escrituras (Gn 3.16). O que afirmo é que simplesmente não cabe ao casamento genuíno certas atitudes que comumente vemos em muitos homens.. Tais pessoas frequentemente desprezam suas amadas esposas (só as tratam assim na frente dos amigos) durante o dia, mas sempre desejam a "recompensa noturna".

Homens precisam compreender que a esposa não é, como dito acima, uma "coisa". Ela é um ser criado e divinamente formado pelo Senhor e feita para ser uma "ajudadora idônea" (Gn 2.18). No entanto, esta ajudadora é também chamada de "cerva amorosa, e gazela graciosa" (Pv 5.19). Igualmente é dito: "Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do SENHOR" (Pv 18.22). É demoníaco e mais fétido do que todo estrume do mundo a frase que diz que "a mulher é um mal necessário" - o homem que cunhou (e aqueles que a repetem!) esta frase nunca leu as Escrituras e certamente não é uma nova criatura em Cristo.

O objetivo desta presente admoestação é ser pontual e alertar muitos homens que estão tratando suas esposas como algo secundário em suas vidas e têm imposto sobre elas um peso de responsabilidade que mais se assemelha com o farisaísmo do que com nosso Senhor Jesus Cristo. Estes homens têm relegado suas esposas a objetos que fazem comida, limpam a casa, são obrigadas a trabalhar fora e ainda, ao fim do dia são forçadas a satisfazerem os desejos de seus maridos. Sim, elas também devem conceder a "devida benevolência" (1Co 7.3), mas esta é uma parte da vida a dois.

Assim, muitos homens têm tratado suas mulheres como criaturas inúteis para a alegria conjugal e sem qualquer sentido real para eles. O que eles têm feito nada mais é senão viver como solteiros, mas desejando as regalias e prazeres de casados. Ao contrário desdes homens, Isaque demonstrou algo sublime e essencial para a vida conjugal: "E aconteceu que, como ele esteve ali muito tempo, Abimeleque, rei dos filisteus, olhou por uma janela, e viu, e eis que Isaque estava brincando com Rebeca sua mulher" (Gn 26.8 - grifo). Sim, os homens precisam fazer de suas esposas as melhores companheiras, as melhores amigas e terem magnífico prazer de estarem em suas doces companhias.

Que o Senhor desperte nossos homens e os façam compreender que o casamento é semelhante à entrega a Cristo: "e vivo, não mais eu" (Gl 2.20), mas para o bem da esposa, amando-a, respeitando-a, ensinando-a e tratando-a com bondade. Tais homens que desta forma não procedem, na verdade têm ido à cama e dormido como que com mulheres mortas, não cuidadas e que definham com o tempo do abandono.

Nota:

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Compartilhe

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

pop-up LIKE

Plugin