"Eu me confesso ser do número daqueles que, aprendendo, escrevem; e escrevendo aprendem" - Agostinho

Se inscreva no meu canal do YouTube!

terça-feira, 23 de julho de 2013

Uma Mulher na Presidência?


Estamos há pouco mais de um ano da próxima eleição presidencial. As mídias têm divulgado a "corrida presidencial" e na linha de frente encontram-se duas mulheres: Dilma Rousseff e Marina da Silva. Diante disso, nos perguntamos: é lícito à mulher exercer tal função? Ainda mais: biblicamente falando, a mulher pode exercer papeis de autoridade?

Pela graça do Senhor, como sempre ocorre, temos uma firme e objetiva resposta vinda da Escritura inspirada por Deus (2Tm 3.16-17).

É preciso, porém e antes de tudo, deixar algo grifado, a fim de que nenhum leitor distorça a visão bíblica: homem e mulher são igualmente amados e queridos por Deus. Em matéria de salvação e providência, ambos os sexos são agraciados pelo Senhor e não há qualquer preeminência ou vantagem. Homem e mulher foram criados por Deus (Gn 1.27) e ambos foram alvos da graça soberana do Eterno (clique aqui para ler um estudo mais aprofundado sobre isso).

Entretanto, embora homem e mulher sejam iguais perante Deus, possuem funções diferentes. Existem algumas razões para isso ser desta forma. Antes, porém, notemos o que nos diz a Escritura em Rm 1.20, "Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas". 

Notemos que a Bíblia nos diz que as coisas criadas revelam "tanto o seu eterno poder, como a sua divindade", de modo que ninguém na face da terra pode contender com o Senhor, alegando não o ter conhecido - "para que eles fiquem inescusáveis; Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu" (Rm 1.20-21). Assim, se patenteia o fato de que devemos olhar, também, para as coisas naturais, a fim de obtermos instrução.

Analisemos os meios pelos quais percebemos as diferentes funções entre homem e mulher.

1. Por meio da ordem da criação de Deus

Muitos não creem ser suficiente (contrariando 2Tm 3.16-17) o fato da Escritura revelar motivos simples para haver uma diferença de funções. Por exemplo, na criação do mundo, lemos: "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança" (Gn 1.26). Em 1Co 11 o Senhor ordena que as mulheres cubram suas cabeças durante o culto público (clique aqui para ler um estudo sobre isso) e a razão dada é "Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem" (1Co 11.8). Escrevendo a Timóteo, Paulo diz que não permite "que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio" (1Tm 2.12) e o motivo é "Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva" (1Tm 2.13).

Tais pontos nos ensinam que para Deus a sequência da criação foi importante. Houve um motivo supremo para que o homem fosse criado primeiro. Deus em Sua soberania e sabedoria, não escolheu arbitrariamente nos deixar Sua palavra com esta relação de primazia. Houve e há um motivo especialíssimo para que o homem tenha sido criado primeiro. Entretanto, tal motivo não é uma regalia do ser masculino, e sim um peso que ele deve carregar: "e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra" (Gn 1.26). O homem tem um dever ímpar de dominar, guardar, proteger, sustentar e zelar pela vida humana - um peso que à mulher não foi dado (a ela cabe o que veremos adiante).

2. Por meio do corpo humano

A Escritura nos diz: "Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a" (Gn 1.28). Homem e mulher deveriam (e ainda devem - leia o primeiro estudo no link) ter filhos, a fim de que a terra do Senhor fosse habitada. Não, nossa terra não tem pessoas demais, pois 7 bilhões de pessoas (número aproximado de habitantes humanos na terra) caberiam, folgadamente - com espaço de quase 2 metros entre elas -, no estado de Sergipe (clique aqui para verificar).

O fato é que precisamos ler a Escritura corretamente. Se Deus ordenou a multiplicação, logo, Ele concedeu os meios para que isso fosse feito (o que já é um tremendo argumento contra o homossexualismo). Homem e mulher foram dotados de meios naturais para que a reprodução acontecesse. Isso significa dizer que as atividades laborais de cada um dos sexos são distinta do outro - não inferior, apenas diferente.

Sem desejar soar pretensioso, mas fato ímpar é recordarmos de que homens não podem menstruar; não podem conceber crianças em seu ventre, pois não possuem o sistema apto para isso; não podem amamentar... Mulheres não suportam carregar o mesmo peso dos homens; não possuem a mesma estrutura óssea para tamanhos esforços...  

Isso tudo, então, possui um motivo bíblico e firmemente estabelecido pela vontade Deus e é com base nestes argumentos que a Bíblia nos estabelece os princípios para a vida em sociedade.

O que Deus requer do homem?

1. Amar a esposa e a ela se entregar - assim como Cristo o fez por Sua Igreja. "Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela" (Ef 5.25).

2. A santidade da esposa depende - também - das atitudes e ensino do marido. "Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra" (Ef 5.26).

3. Deve cuidar de sua esposa assim como cuida de si mesmo. "Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo" (Ef 5.28).

4. Não busca mais seus próprios interesses, pois vive para sua esposa. "Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja" (Ef 5.29).

5. Não deve se afastar de sua esposa, exceto por necessidade. "Porque somos membros do seu corpo, da sua carne, e dos seus ossos" (Ef 5.30).

O que Deus requer da mulher?

1. Sua conduta é sempre amorosa para com seu marido. "Mulher virtuosa quem a achará? O seu valor muito excede ao de rubis. O coração do seu marido está nela confiado; assim ele não necessitará de despojo. Ela só lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida" (Pv 31.10-12).

2. É uma mulher dedicada à sua casa e aos afazeres nele envolvidos. "Busca lã e linho, e trabalha de boa vontade com suas mãos. Como o navio mercante, ela traz de longe o seu pão. Levanta-se, mesmo à noite, para dar de comer aos da casa, e distribuir a tarefa das servas. Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com o fruto de suas mãos. Cinge os seus lombos de força, e fortalece os seus braços. Vê que é boa a sua mercadoria; e a sua lâmpada não se apaga de noite. Estende as suas mãos ao fuso, e suas mãos pegam na roca. Abre a sua mão ao pobre, e estende as suas mãos ao necessitado. Não teme a neve na sua casa, porque toda a sua família está vestida de escarlata. Faz para si cobertas de tapeçaria; seu vestido é de seda e de púrpura" (Pv 31.13-22).

3. Por suas atitudes o seu marido é tido em boa reputação. "Seu marido é conhecido nas portas, e assenta-se entre os anciãos da terra. Faz panos de linho fino e vende-os, e entrega cintos aos mercadores. A força e a honra são seu vestido, e se alegrará com o dia futuro. Abre a sua boca com sabedoria, e a lei da beneficência está na sua língua" (Pv 31.23-26).

4. Não é preguiçosa. "Está atenta ao andamento da casa, e não come o pão da preguiça. Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada; seu marido também, e ele a louva" (Pv 31:27-28).

5. Seu agir testifica sua beleza. "Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és, de todas, a mais excelente! Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa sim será louvada. Dai-lhe do fruto das suas mãos, e deixe o seu próprio trabalho louvá-la nas portas" (Pv 31.29-31).

6. Deve ser boa dona de casa e cuidar dos filhos, em vez de se lançar em carreiras de autoridade: "Quero, pois, que as que são moças se casem, gerem filhos, governem a casa, e não dêem ocasião ao adversário de maldizer" (1 Tm 5.14). "As mulheres idosas, semelhantemente, que sejam sérias no seu viver, como convém a santas, não caluniadoras, não dadas a muito vinho, mestras no bem; Para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos, a amarem seus filhos, A serem moderadas, castas, boas donas de casa, sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada" (Tt 2.3-5).

O que aprendemos diante destes versículos? Que o homem deve ser o governante de sua casa (em amor, sempre) e a mulher tem funções domésticas (de extrema importância! ou você consegue imaginar um lar sadio sem uma mãe e esposa cuidando e ajeitando todas as coisas?), não devendo exercer qualquer autoridade, pois foi criada para ser boa dona de casa, mãe de filhos e submissa ao marido (por favor, leia o primeiro estudo postado, para que possa compreender corretamente esta doutrina).

De onde mais aprendemos que a mulher deve ser submissa e mãe de filhos? Novamente, da criação de Deus, pois se anteriormente à queda a submissão era graciosa e sem qualquer peso, assim como o nascimento seria algo belo e possivelmente sem dores, devido ao pecado tornou-se uma obrigação e ao parto foi imputado o sofrimento (assim como ao homem foi imposto sustentar sua casa com o suor do seu rosto - Gn 3.19): "Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará" (Gn 3.16).

O que tudo isso significa?

Alguma leitora pode estar se perguntando, então: "Quer dizer que a mulher deve ficar em casa, cuidando dos filhos e não deve ter uma carreira promissora em grandes empresas?" É exatamente isso. O motivo? Vimos anteriormente: "a fim de que a palavra de Deus não seja blasfemada" (Tt 2.5). Se você tem tido dificuldades com essa doutrina, ore ao Senhor por mais sabedoria (Tg 1.5).

O homem, igualmente, pode estar se questionando: "Isso significa que cabe a mim o sustentar a casa, filhos, prover segurança e pagar as contas?" É exatamente isso. O motivo? Vemos claramente, quando o Senhor diz que o homem deve ser o sustentador de sua casa: "Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne" (Gn 2.24).

O que dizer sobre a juíza Débora?

Creio que o comentário piedoso de João Calvino (1509-1564) clareie a questão. Comentando sobre 1Tm 2.12, escreveu o reformador:

"12. Não permito, porém, que a mulher ensine. Paulo não está tirando das mulheres os seus deveres de instruírem suas famílias, mas sim as retirando do ofício do ensino que Deus deu exclusivamente aos homens... Se alguém apresenta, por meio de objeção, Débora (Juízes 4.4) e outras do mesmo tipo, de quem se lê que por um tempo foram destinadas ao comando do povo de Deus, a resposta é fácil. Atos extraordinários de Deus não anulam as regras ordinárias do governo, pelas quais ele intenta que sejamos obrigados. Portanto, se as mulheres uma vez realizaram o ofício de profetas e mestres e a isto foram levadas sobrenaturalmente pelo Espírito de Deus, Ele é acima de toda a lei [para fazer isto]. Assim, sendo um caso peculiar, isto não se opõe ao constante e ordinário sistema de governo." [1]

O resumo, portanto, da resposta concernente a nossa pergunta - Uma Mulher na Presidência? -, é bastante simples e objetivo: mulheres ocupam-se no lar, engrandecendo o matrimônio, adornando suas casas com belas obras e construindo moradas abençoadas e onde impera a graça, bondade, harmonia e júbilo constante. Deus não criou a mulher para suportar este peso de autoridade sobre qualquer homem e é, portanto, grave pecado intentar subverter a ordem bíblica (como, por exemplo, se o homem quisesse ficar em casa e ordenasse que sua mulher saísse para trabalhar - tal coisa seria horrenda aos olhos do Senhor).

Por que temos, hoje, uma mulher na presidência? Para juízo, castigo e punição de nossa nação! A base para isso? Muito é o alerta e lamento de Isaías: "Os opressores do meu povo são crianças, e mulheres dominam sobre ele; ah, povo meu! Os que te guiam te enganam, e destroem o caminho das tuas veredas" (Is 3.12). Por que o Senhor assim faz? "Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça" (Rm 1.18).

Roguemos ao Senhor para que Ele leve esta nação ao arrependimento. Que nas próximas eleições, nenhuma mulher suba ao poder (assim como em todos os outros postos de autoridade nas demais funções sociais). Que um homem se levante e assuma o firme ideal bíblico de ser um "instrumento servidor" da Lei de Deus na terra, conforme lemos cristalinamente no Salmo 2.

Que Deus nos abençoe.

Nota:
[1] CALVIN, JOHN. Commentaries on the epistles to Timothy, Titus and Philemon, Baker Book House, pág. 67 - tradução livre.

Comente com o Facebook:

8 comentários :

  1. Provavelmente as filhas do autor desse texto não estudam, ou então, só fazem curso de prendas domésticas. Pois senão ele estaria sendo paradoxal, pois prega que a mulher tem que viver para o serviço doméstico. Dessa forma, mulher não pode fazer faculdade de nenhuma especialidade, pois deve viver para cozinhar, passar, faxinar, lavar para o marido e filhos. Com certeza, é isso que ele quer para a filha dele, semianalfabeta, esquentando a barriga no fogão e esfriando no tanque.

    ResponderExcluir
  2. Está bem, concordo com o autor, então, deveríamos tirar todas as mulheres do mercado de trabalho: desde as professoras de educação infantil, as vendedoras de loja de roupas femininas, as enfermeiras, as cuidadoras de idosos, as manicures e cabeleireiras. Todo mundo só em casa, lavando, passando e cozinhando. Agora vem a pergunta: Quem sustentaria as sem marido, as solteironas que os pais já morreram. Tudo nas costas do Estado? Outra pergunta: será que teriam homens suficientes para cobrir as lacunas das profissionais femininas principalmente nas escolas e nos hospitais? Outra pergunta: a filha do autor fez faculdade? Ele sonha para ela só lavar louça e banheiro? Todos os cristãos que tem filhas deveriam tirá-las da faculdade agora, sem demora? Responda minhas dúvidas, são sinceras, não estou sendo irônica. Devo impedir minha filha de continuar a fazer faculdade e pôr ela num curso em minha cidade que ensina faxinar a casa? Respondam-me, pois estou em dúvida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lindalva.

      Evidente que este texto não é exaustivo, de modo que suas perguntas não poderiam ser respondidas por ele. Na Bíblia, as mulheres devem ensinar as crianças, o que inclui a licitude de serem professoras infantis, por exemplo. Assim como é legítimo uma mulher fazer a própria unha, não vejo impedimento para ser manicura, cabelereira e tudo o mais.

      Em resumo, o que texto quer dizer é que o trabalho fora de casa deve ser visto como algo que não é o padrão - leia o capítulo 31 de Provérbios. Em muitas situações a mulher virtuosa de provérbios trabalhava fora, mas jamais negligenciava o seu lar - o que não acontece hoje em dia, pois trabalham trabalham tanto, que não tem tempo para os filhos e a casa.

      Sobre quem sustentaria as solteiras, uma coisa é a "doutrina perfeita", outra é como ela é aplicada. O bom seria que todas elas vivessem com os pais, irmãos e fossem sustentadas pela igreja ou tivessem algum trabalho mais doméstico e que rendesse algum dinheiro, mas sabemos que isto, na maioria das vezes, não é possível - então, resta trabalhar dentro das possibilidades.

      Se você deve impedir sua filha de continuar da faculdade? Eu creio que deve incentivá-la a continuar, até porque todo conhecimento é bem-vindo (ainda mais se for utilizado no casamento), contudo, lhe ensinando que sua "carreira", caso se case, não será na empresa, mas, sim, em casa. Para ilustrar, uma irmã de nossa igreja estava no final de sua faculdade, mas como se casou e logo ficou grávida, resolveu parar, tendo em vista que não poderia conciliar todas as coisas.

      No mais, ensine sua filha a ser uma boa dona de casa; ensine-a a estudar e terminar a faculdade - mas procure demonstrar que a finalidade da criação de Deus não foi para que ela se torne uma "super empresária", e sim, uma "super dona de casa e mãe de filhos", afinal, não há trabalho mais digno do que este.

      Cristo seja contigo.

      Excluir
    2. Concordo com tudo o que foi escrito segundo a Palavra. Sendo assim sera necessário que se apresente um varão pra competir com as Sras. Dilma e Marina, pois o Sr. Aécio e um frouxo, não contemplando nenhuma das qualidades minimamente consideradas de boa fama para um cargo de autoridade.

      Excluir
    3. A questão não é se o autor pratica ou não esse ensino em sua própria casa. Para o cristão, a preocupação deveria ser se esse ensino é perfeitamente baseado na Escritura ou não. Nosso problema hoje é que estamos tão amoldados ao mundo (ao sistema anticristão que domina a cultura), considerando-o tão natural, que ficamos perplexos quando somos confrontados com o genuíno ensino bíblico. E aí, em vez de orarmos pedindo que Deus nos conceda a graça de amarmos a Sua lei e de nos amoldarmos a ela, revendo os nossos hábitos mundanos que prejudicam a nossa comunhão com Deus e com o próximo, nós nos rebelamos contra os Seus mensageiros. Que Deus nos ajude!

      Excluir
    4. Meus amados, trabalhar não é pecado. Pecado é obrigar a mulher trabalhar e ficar chupando manga em casa.

      Excluir
  3. Concordo com : Anônimo3 de março de 2014 01:47

    ResponderExcluir
  4. Amém, o ministério da mulher é no lar.

    ResponderExcluir

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Compartilhe

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

pop-up LIKE

Plugin