"Eu me confesso ser do número daqueles que, aprendendo, escrevem; e escrevendo aprendem" - Agostinho

Se inscreva no meu canal do YouTube!

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Um Chuveiro, Uma Morte e a Soberania de Deus


O número de mortes estranhas nos impressiona. Na verdade, por si mesma, a morte já não nos espanta - exceto quando ela pode ser considerada e enquadrada em "morte estranha" ou "morte bizarra". 

Estas mortes podem ocorrer das mais diferentes maneiras. Recentemente, um colega de sala de aula, comentava comigo que seu amigo havia morrido dentro do banheiro - mais precisamente, tomando banho. Intrigado, perguntei-lhe como havia acontecido. Para meu espanto, seu colega havia tido algum problema físico durante o banho e caiu desmaiado em cima do ralo. O chuveiro, então, por continuar ligado, acabou por encher o box e matar o jovem, afogado. 

Diante desse e muitos outros fatos [1], surge-nos a pergunta: sendo Deus soberano, qual o propósito destas mortes? Sim, sabemos que "até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados" (Mt 10.30) e que ninguém pode acrescentar algo à sua vida (Mt 6.27), de modo que nossos dias estão contados e determinados por Senhor - mas, a pergunta é sobre o porquê o Senhor estabelecer que pessoas morram desta maneira.

A resposta, penso ser essa: demonstrar aos homens que até mesmo as coisas e utilidades mais simples desta vida, são capazes de retirar a vida de um ser humano. É mostrar ao homem prepotente sua fraqueza, debilidade e necessidade de Deus. É glorificar a soberania plena do Altíssimo, levando os seres criados à contemplação de sua majestade, onde até um simples banho, que em linhas gerais, não oferece perigo algum, poder acabar se tornando um laço para a morte e perdição.

Nota:
[1] Alguns sites noticiam algumas mortes estranhas, como esses: Colunistas.ig e Interesite

Comente com o Facebook:

Um comentário :

  1. Alem disso ainda tem as mazelos que o próprio homem atraiu para si depois da queda. Ou seja, de certa forma, tudo de ruim que acontece ao homem e à natureza, em última análise, é culto do próprio homem que pecou contra Deus. Escrevi um pouco sobre isso, num post intitulado "A origem das tragédias humanas" gostaria de compartilhar:

    http://filosofiacalvinista.blogspot.com.br/2011/01/origem-das-tragedias-humanas.html

    ResponderExcluir

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Compartilhe

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

pop-up LIKE

Plugin