"Eu me confesso ser do número daqueles que, aprendendo, escrevem; e escrevendo aprendem" - Agostinho

Se inscreva no meu canal do YouTube!

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Série: Homem e Mulher os criou - parte 3 - Homem e Mulher no Jardim, União e Casamento - Sermão pregado dia 01.04.2012


Série: Homem e Mulher os criou - parte 3 - 
Homem e Mulher no Jardim, União e Casamento -
Sermão pregado dia 01.04.2012

Não sei quanto a você, mas foi somente após vários anos lendo e escutando pregações sobre Gênesis que fui perceber que Adão e Eva já nasceram "grandes". Leia atentamente o relato da criação e note que em momento algum nos é dito que ambos estiveram no "parquinho" ou brincaram de "esconde-esconde" um com outro. Para o homem e a mulher que Deus criou, não houve a fase que chamamos de infância, ou ainda, quem sabe, de juventude. As criaturas do Senhor foram criadas já em fase crescida, com todo o corpo desenvolto e pronto para as atividades que haviam sido designadas por Deus. Esse é um ponto pequeno, mas bastante relevante para nosso entendimento, pois se há essa diferença entre a maneira como o Senhor criou o primeiro homem e mulher e como passou a trazer à vida os seus descendentes, entendemos ser esse mais um motivo para afirmarmos a perfeição que havia nas criaturas. Tanto Adão com Eva não precisaram primeiramente engatinhar para depois poder andar. Em seus corpos não houve qualquer processo de amadurecimento e crescimento gradativo; tão logo foram postos no mundo e já estavam plenamente capazes de exercer seus mandatos como servos do Senhor.

Anteriormente pontuamos que Adão havia sido feito à imagem e semelhança do Senhor e que também a mulher havia sido feita dessa forma, apenas que não de modo direto como foi o homem, e sim de modo indireto, isto é, através do homem e para o homem. Notamos também que ambos foram criados para refletirem a glória de Deus nesse mundo, onde naquele estágio tudo era bom, exuberante e magnífico à vista de qualquer criatura. Agora precisamos atentar para uma questão interessante: em meio à toda perfeição e santidade existentes naquele jardim, houve um casamento. Sim, Adão e Eva se casaram.

"Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne" (Gn 2.24). Se algum dia houve um casamento perfeito, onde os cônjuges agiam conforme deveriam ser e eram exatamente aquilo que a perfeição é, esse matrimônio se passou no primeiro casamento registrado nas Escrituras. Adão e Eva foram feitos um para o outro - não houve arbitrariedade nem possível escolha de qualquer outra criatura. Após o homem exclamar, "Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne" (Gn 2.23), tomou Eva por sua mulher e iniciou o desfrutar de um excelente casamento; sem brigas, sem discussões, sem rancores, sem disputas, sem trivialidades, sem mágoas... tudo era alegria, diversão, companheirismo, ajuda mútua, íntima confiança, prazer... Neste ponto já temos algo de profunda importância para nós: "Portanto deixará o homem... e apegar-se-á à sua mulher" (grifo meu). Note: foi Adão quem tomou o partido de ir até Eva.

A narrativa bíblica tem muito a nos ensinar nesse sentido. Não é sem motivo que nos é registrado o "ide" de Adão até sua esposa. Uma vez que Eva, a mulher, havia sido criada do homem e para o homem, Adão tinha a certeza de que ela era sua amada e que deveria ir até sua pessoa caso quisesse seguir um relacionamento. No entanto, está a cada dia mais raro ver esse exemplo bíblico sendo demonstrado na vida de muitos jovens e homens cristãos. Homens estão sendo transformados em bonecas coloridas e mulheres estão sendo transformadas em guerreiras heroicas. Enquanto a Bíblia é abundante em relatos onde homens conquistam a guarda de sua esposa desejada, mesmo que através da guerra e/ou de muito esforço físico, a sociedade atual tem feito dos seres masculinos uma verdadeira aberração da natureza. Enquanto Adão é retratado como aquele que vai em busca de sua esposa, em nossos dias os homens tem tomado um posicionamento totalmente contrário a esse ensinado pelas Escrituras. Se isso é verdade com relação aos homens, certamente também o é para com as mulheres, cujas vidas outrora era pautada pela agradável e amorosa submissão e espera pelo marido que viria ao seu encontro, hoje já não é incomum vermos meninas e mulheres quase que literalmente se leiloando pelas ruas, e porque não, até mesmo dentro de círculos evangélicos.

"Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do SENHOR" (Pv 18.22). Note como também esse versículo denota que é o homem quem "encontra uma esposa". Sim, meus amados, é dever do homem ir e procurar uma esposa idônea e fiel as princípios bíblicos. E sim, minhas amadas, é seu dever aguardar no Senhor até que Ele lhes mande um homem segundo o Seu coração. Certamente que essa noção é bastante desconhecida de muitas pessoas, pois vivemos em dias onde a até mesmo a noção de casamento (homem e mulher) está sendo distorcida para fora dos padrões aceitáveis diante do Senhor. No entanto, apesar das Escrituras deixarem bastante claro que é o homem quem deve procurar por sua mulher, é preciso notar que de forma alguma isso denota inferioridade da parte da mulher, na verdade, o intuito das Escrituras é justamente o contrário, a saber, que de tão preciosa e amável ela é aos olhos do Senhor e de seu futuro marido, que não deve se prostituir em relacionamentos e flertes sem compromisso, pois foi criada de maneira mui digna e especial, não devendo se entregar a qualquer que se apresente e também não sair a procura de um cônjuge, pois sua beleza, magnitude e valor, se contempladas à luz da mulher virtuosa (Pv 31),  em "muito excede ao de rubis" (Pv 31.10). [1]

"A casa e os bens são herança dos pais; porém do SENHOR vem a esposa prudente" (Pv 19.14). Novamente o autor das lindas e ricas poesias coloca a esposa em grau muito notório - ele a tem como mais preciosa que a casa e os bens provenientes de uma herança, pois não é advinda da mera linhagem, mas vem "do SENHOR". Para o homem, toda mulher deveria ser tida na maior estima possível, pois assim fez Adão com Eva e assim também muitos homens desgastaram-se fisicamente para obterem a tão sonhada e desejada mulher de seus sonhos - "Assim serviu Jacó sete anos por Raquel; e estes lhe pareceram como poucos dias, pelo muito que a amava" (Gn 29.20).

Mas, a narrativa não nos diz apenas isso, mas também nos diz: "Portanto deixará o homem... apegar-se-á à sua mulher" (grifo meu). O Dr. Joel Beeke comenta: "Juntar. Um par recém casado deve unir-se concomitantemente. A palavra grega original pode ser traduzida como 'cimentado ao mesmo tempo'. O relacionamento inseparável, um do outro. A mulher torna-se parte do homem e vice-versa. Eles se tornam mais do que um companheiro íntimo, melhor amigo e parceiro fiel, um do outro - O homem casado que não pode dizer o mesmo de sua esposa é um fracassado e um dos mais tristes homens que devem viver nessa terra". [2] Nesse ponto temos mais um princípio firmemente estabelecido, a saber, que o homem somente deve ir e ter para si uma mulher, quando estiver realmente convencido de que ela tem, segundo as Escrituras, um caráter, piedade, modéstia e padrões firmemente estabelecidos. [3] Não é adequado e nem encontra respaldo bíblico, muitas das atitudes de jovens incoerentes com o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, cujas vidas eclesiásticas são marcadas pela variedade de parceiros que amontoam em questão de poucos meses ou anos - não foi assim com Adão, e, portanto, não deve ser assim conosco.

Como dissemos acima, o casamento de Adão e Eva deve ter sido maravilhoso, pois cada um era cônscio de seu papel, tanto na criação como no sustento do lar. Pontuamos em momento pretérito que a incumbência de Adão era a de lavrar e cuidar do jardim que o Senhor havia feito (Gn 2.15); ao passo que à Eva cabia o dever de ser-lhe ajudadora idônea (Gn 2.18). Mas, para que ninguém ousasse dizer que tal mandamento diz respeito somente ao momento anterior à queda do homem, o Novo Testamento também deixou registrado as mesmas palavras que já vimos: "Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne?" (Mt 19.4-5), "Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher" (Mc 10.7), "Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne" (Ef 5.31). Esse é um ponto que sempre precisamos recordar, pois quando lemos a palavra de Deus, necessitamos levar em nossos corações que não pode haver contradição naquilo que o Senhor ordena. A palavra de Deus não poderia ordenar dois tipos de Lei: um para o Antigo e outro para o Novo Testamento. Nós sabemos disso, temos ciência de que as Escrituras são una em seu ensino e que por isso mesmo não podem ora afirmar uma coisa, ora afirmar outra. Assim também foi a questão do matrimônio: não poderia haver uma regra para o casamento de Adão e Eva e então outro para Noé e sua mulher, outro para Arão... Dessa forma, compreendemos que os estatutos do Senhor são perpétuos, sendo válidos desde o início dos tempos até o seu findar.

Convém, então, notar de que forma Adão deveria lavrar e guardar a terra e de que maneira Eva deveria ser auxiliadora de seu esposo. A resposta para essa questão é dada na analogia entre Cristo e Sua igreja. Com relação ao homem, Paulo nos dá duas diretrizes: "...andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave... Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela" (Ef 5.2;25).

1. "...andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave" (Ef 5.2). Essa é a primeira forma como Adão deveria amar sua esposa: da mesma forma com que foi amado pelo Senhor e cuidado por Ele. Adão houvera recebido absolutamente tudo da parte de Deus; um magnífico jardim, belas flores, vistosas frutas, saborosos alimentos, animais de toda espécie... tudo que precisava para viver, isto Adão recebeu. Ainda que anterior a queda, já naquele momento Cristo prefigurava com Adão e Eva a união que Ele teria com Sua Igreja. Cristo, que também estava na criação do mundo, juntamente com o Pai e com o Espírito Santo, cuidava e selava pela vida de Adão.

2. "Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela". Adão sabia que sua esposa deveria ser amada e tida na maior grandeza que fosse possível ao seu coração íntegro e sincero. Aqui reside grande parte de nossa resposta quanto ao que o homem deveria realizar no jardim: cuidar da criação de Deus e amar e cuidar de sua esposa, assim como foi amado pelo Senhor. Cabia a Adão a ordenança de prover o alimento necessário para sua gloriosa e formosa esposa, era dele o dever de lavrar e guardar a terra de modo que pudesse sempre frutificar e render todos os frutos gloriosos que o Senhor dava para seu deleite e sustento. Quando reparamos todas as narrativas bíblicas, acabamos percebendo que em momento algum é dito à qualquer mulher que sua incumbência era de lavrar, guardar a terra, construir muros, construir casas, erguer fortalezas... e quando há exceção de lermos que alguma mulher estava a realizar algo semelhante ao trabalho de homem, sem dúvida o texto sempre vem acompanhado de alguma lição por conta de pecados cometidos, negligências de um para com o outro ou ainda, para nos ensinar uma lição maior. Adão tinha a certeza de que também deveria se entregar por sua esposa, isto é, guardar e selar por seu cuidado - pois ainda que vivessem de maneira perfeita e desfrutassem de um universo sem pecado, foi do intento do Senhor que somente a ele fosse dada a ordem de cuidar da terra.

Para Eva, seu trabalho consistia também na semelhança entre Cristo e Sua igreja. Ou seja, assim como a Bíblia demonstra que a Igreja está unida a Cristo, também desse modo deve ser a mulher. Creio, portanto, não ser exagero citar duas passagens que falem sobre isso: "Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos" (Fp 4.4), "Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor" (Ef 5.22). Para a mulher, também vemos um dever duplo:

1. "Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos" (Fp 4.4).

Se para Adão a incumbência era de viver em prol de sua esposa e amá-la conforme o Criador o amou, para Eva o dever consistia em alegrar-se e jubilar-se na presença do Senhor e agradecer-Lhe pelo provimento que lhe havia concedido, a saber, o homem Adão. Amar a Adão e nele alegrar-se, isto é, depositar nele o seu prazer e regozijo, não era uma das opções possíveis para Eva, pois uma vez que havia sido criada para ser-lhe ajudadora idônea de seu esposa, consequentemente, devido ao pecado que não havia entrado em seus corações e corrompido todas as suas faculdades, tinha total confiança e deleite em saber que o seu homem lavraria e guardaria a terra em que vivam. Ela sabia que poderia confiar nas aptidões conferidas por Deus a Adão, porque sendo verdadeiro que ambos eram perfeitos, sua confiança com relação ao sustento, guarida e amor, certamente seriam correspondidas.

Assim com a Igreja deve alegrar-se em Seu Esposo (isto é, Deus), também as atitudes jubilosas de Eva deveriam ser muito latentes em sua vida, haja vista ter para si um "guia idôneo" e que havia sido dotado de grande entendimento e graça do Senhor.

2. "Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor" (Ef 5.22).

Não é lícito nem prudente o afirmar que antes da queda a mulher não deveria ser submissa ao seu marido, pois conforme já ponderamos, a mulher havia sido criada para o homem, a fim de lhe completar e lhe ser a "ajudadora idônea", "carne de sua carne", isto é, àquela perfeita e reta companhia que a ambos traria prazer e alegria. Enquanto ao homem havia sido dada a incumbência de cuidar da terra, à mulher tinha sido requerido que lhe ajudasse em todas as ocasiões que lhe fossem propícias e que seu marido precisasse de ajuda.

No entanto, para que entendamos melhor qual era a principal atividade da mulher, é necessário que nos atenhamos a um versículo essencial: "E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra" (Gn 1:27-28 - grifo meu).

Continua...

Notas:
[1] Em momento posterior veremos mais detidamente como deve ser realizado tal "procura pela esposa" por parte do homem e também como a mulher deve se portar durante sua espera.
[2] BEEKE, Joel, disponível em http://www.monergismo.com/textos/antropologia_biblica/criacao_mulher.htm - acessado dia 08.03.2012 às 13:00.
[3] Leia o capítulo 31 do livro de Provérbios para visualizar algumas dessas características.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Compartilhe

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

pop-up LIKE

Plugin