Pular para o conteúdo principal

É Sempre Errado Mentir?


Será que é possível mentir não ser um pecado? Botando de uma forma mais direta, será que Deus pode te colocar em uma posição em que pecar é a coisa certa a se fazer?

Essa questão é tão complicada quanto constante. E quase sempre vem junto de uma situação hipotética: digamos que você vive na Alemanha Nazista, há alguns judeus escondidos no sótão da sua casa, e os guardas da Gestapo batem na porta e perguntam se você está escondendo judeus. O que você faz? Você mente?

Deixe-me te dar minha conclusão, e então tentamos caminhar até lá juntos. Em primeiro lugar: DEUS ODEIA MENTIRA. Então, sim, é sempre um pecado mentir e, não, nunca é possível mentir sem pecar. Provérbios 12.21-22 nos explica o porquê:

Nenhum agravo sobrevirá ao justo, mas os perversos, o mal os apanhará em cheio. Os lábios mentirosos são abomináveis ao SENHOR, mas os que agem fielmente são o seu prazer.

Língua mentirosa está entre uma das sete coisas que Deus abomina (Provérbios 6.16-17). Cristãos são chamados a que seu sim seja sim, e mentir viola esse princípio básico (Tiago 5.12). E, enquanto Deus é um Deus de verdade (João 14.6-7), o diabo é o pai da mentira (João 8.44). Mentiras são afrontas à providência, pois implicam que o mundo seria melhor se Deus simplesmente agisse mais de acordo com nossas vontades. Assim, cada mentira é um ataque à soberania de Deus e essencialmente te coloca em oposição ao que é verdade. Ao invés de mentir, diga a verdade (Colossenses 3.9; Efésios 4.22-24).

É simples assim.

O problema filosófico

A questão de se é possível mentir surge de uma construção ética falha. Na ética cristã há basicamente duas correntes: a ética gradativa e a ética absoluta. A ética gradativa diz que há uma triagem nos mandamentos de Deus, e alguns são mais importantes que outros. Quando há uma contradição, sempre se atenha ao mais sério. Por exemplo, eles diriam que o seu dever para com os judeus escondidos no sótão é maior que os mandamentos contra mentir. Então é melhor mentir do que trair os refugiados.

Por outro lado, aqueles que afirmam a ética absoluta (como eu, Moisés e Jesus) dizem que todos os mandamentos de Deus são obrigatórios, e nunca é aceitável deixar qualquer um deles de lado. Deus não faz uma curva de gradação com seus mandamentos, então não deveríamos enxergá-los como tendo alguma ordem de importância.

Aqueles que afirmam a ética gradativa usam versículos como Marcos 12.30-31 (quando Jesus diz que amar ao Senhor teu Deus e amar seu próximo como a si mesmo são os dois maiores mandamentos) como evidência de que Deus eleva alguns de seus mandamentos acima de outros. Aqui, alguém que segue uma ética absoluta olha para Marcos 12 e diz que esses mandamentos são maiores porque todos os outros fluem deles – o que quer dizer que violar qualquer mandamento, de alguma forma, é uma ofensa a seu próximo ou a Deus, ou, mais provável, a ambos.

O simples problema da abordagem ética gradual é que isso não é ensinado na Bíblia – mesmo em passagens como a de Marcos 12. A primeira pessoa apedrejada até a morte no Antigo Testamento foi executada por carregar estacas no Sábado, o que, no mínimo, levanta algumas questões acerca do conceito de moralidade gradativa. Independente do debate entre ética absoluta vs gradual, as primeiras pessoas que Deus executa sumariamente no Novo Testamento são Ananias e Safira, por terem mentido ao Espírito Santo. A moral disso só pode ser: se você vai listar pecados segundo alguma ordem de seriedade, mentir deve estar bem perto do topo.

O problema hipotético

Mas isso nos leva de volta aos judeus escondidos no sótão. E aí? Bem, quando elaboramos dilemas éticos hipotéticos, devemos lembrar que hipóteses são literalmente problemáticas. Elas são complicadas precisamente porque expõe uma suposta fraqueza no argumento de alguém.

Se você vai jogar o jogo hipotético, lembre-se que Deus é soberano e, com isso, vem a promessa divina de que, para cada tentação, ele sempre provê um livramento (1 Coríntios 10.13), e essa saída NUNCA vai envolver pecar. Deus não abre uma porta de saída através de pecados. Na verdade, no contexto de 1 Coríntios 10, é exatamente do pecado que Deus quer te livrar.

Assim, em qualquer dilema moral hipotético, você precisa se lembrar que sempre há um contingente implícito – isso é, Deus sempre te dará um livramento que não envolve você pecar.

De volta aos guardas à porta

Voltando aos policiais batendo na porta e os judeus escondidos no sótão. As regras dizem que você não pode pecar, que mentir é pecado e que entregar pessoas à morte é falta de amor, o que quer dizer que também é pecado. O que resta fazer?

Bom, essa decisão, na verdade, foi tomada antes de esconder os judeus. Quando você deu abrigo a eles em sua casa, você o fez se tornando responsável pela segurança deles. Se você é valente o suficiente para escondê-los, então é melhor que seja valente o suficiente para protegê-los. Como você pode escondê-los mas não estar disposto a defendê-los fisicamente? Se os guardas batem na sua porta, responda dizendo que eles não tem o direito de entrar na sua casa, e o que eles estão fazendo é moralmente repreensível – mas que Jesus oferece perdão para os pecados deles, e que eles precisam se arrepender. Eles derrubam a porta, e aí a hipótese segue. A pessoa que é valente o suficiente para mentir mas não o suficiente para ser um mártir não é nem um pouco valente.

E sobre ética em tempos de guerra?

Por mais absolutista que isso soe, a Bíblia dá lugar em suas construções morais para ética de guerra. Deus usa países para levantar a espada e punir malfeitores. É esperado que guerras incluam dissimulações e violência. Um exército pode fingir ir para a esquerda e ir para a direita, porque estão levantando a espada para suprimir o mal. Mas isso é fundamentalmente diferente de uma pessoa – um civil, como queira – que mente porque tem uma agenda moral secreta. Mesmo que sua moralidade seja correta, ela é minada pela mentira porque (lembre-se) Deus nunca te põe em uma posição onde mentir é a coisa certa a se fazer.

E Raabe?

Nenhuma conversa sobre mentir estaria completa sem Raabe aparecer. “E Raabe?”, você pergunta. “Ela não mentiu? E aí?”. Bem, sim… mas isso está longe de ser o ponto da narrativa. Raabe tomou partido de Javé contra sua própria nação. Ela ouviu sobre as obras de Deus no deserto e, quando encontrou com os espias, foi claramente convertida pela fé, somente. Essa fé se manifestou imediatamente em sua devoção a Deus e ao povo (Tiago 2.25).

O ponto da narrativa de Raabe em Josué 2 é que uma prostituta idólatra foi radicalmente salva, e que Deus então usou-a para ajudar Israel a entrar na terra prometida. Ela mentiu? Sim. Ela era crente por não mais que dez minutos (...) Ela está na galeria da fé de Hebreus 11? Sim. Por mais chocante que seja, há alguns crentes que foram tanto mentirosos quanto prostitutas (e há Sansão, que foi um mentiroso enquanto estava com uma prostituta). Ainda assim, o evangelho é maior que o pecado, e a salvação vem pela fé, somente. Raabe sempre é tida como um exemplo de fé por ter se aliado ao povo de Deus, e nunca um exemplo por ter mentido para a glória de Deus.

- por Jesse Johnson
Fonte: iPródigo

Comentários

  1. Get all the best spirits and wines at Duty Free Depot!

    All the world famous brand name drinks for unbeatable discounted prices.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Postagens mais visitadas deste blog

A mulher deve se vestir de modo que nenhum homem venha pecar por sua causa

Muitas mulheres e moças atualmente perderam seu próprio valor e muitas mulheres cristãs não tem se dado conta disso - o que acaba por as levar se vestindo conforme o mundo tem ditado; isto é, a moda. Por que digo isso?  Tenho notado o quanto muitas mulheres e moças têm se iludido ao pensarem que é bonito usarem vestimentas que mostram todas as suas curvas, tais como: roupas justíssimas delineando seu corpo, shorts e saias curtas e blusas decotadas. Mas, se fosse para ser  assim, Deus não teria vestido Adão e Eva como diz na Bíblia: " E o Senhor Deus fez túnicas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu " (Gênesis 3:21). Na palavra também está escrito: " Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos. Mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras " (1 Timóteo 2:9-10). Noto ainda que muitas mulheres e moças usam roupas indecentes co

É pecado um casal de namorados dormir junto?

É pecado um casal de namorados dormir junto? - por Filipe Luiz C. Machado Recentemente um irmão em Cristo perguntou-me sobre a legitimidade - ou não - para um casal de namorados poder dormir junto. Confesso que esse é um ponto delicado, mas creio que - mais uma vez - as Escrituras nos revelam aquilo que devemos fazer. É importante notarmos, primeiro, sobre que tipo de situação nos rodeia. Uma coisa é um casal de namorados que viaja de avião e cuja aeronave cai no meio da floresta, restando poucos sobreviventes e ainda por cima, estavam na estação do inverno, o que implica dizer que necessariamente todos precisam dormir juntos - para se aquecer, caso contrário, morrerão. Mas é claro que essa é uma situação hipotética e nela seria perfeitamente coerente dormir junto, pois seria um pecado deixar alguém morrer de frio quando podia-se evitá-lo. Porém, mesmo a realidade dos namorados não é esta do avião, é a partir do dia-a-dia que as dúvidas surgem. Muitos namorad

A importância da Renúncia

Texto por Angela E. P. Machado ----- “E, pondo-se Jesus a caminho, correu um homem ao seu encontro e, ajoelhando-se, perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um, que é Deus. Sabes os mandamentos: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, não defraudarás ninguém, honra a teu pai e tua mãe. Então, ele respondeu: Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude. E Jesus, fitando-o, o amou e disse: Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me. Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas propriedades.” Marcos 10.17-22 Neste breve texto, vemos o reflexo daquilo em que os judeus acreditavam. Pensavam eles que as riquezas eram um sinal da aprovação de Deus e que os ricos teriam maiores possibilidades de serem salvos, ou seja, de alcançarem a vida etern