"Eu me confesso ser do número daqueles que, aprendendo, escrevem; e escrevendo aprendem" - Agostinho

Se inscreva no meu canal do YouTube!

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Carta ao Eduardo - Um Homem que Pensa ser Reformado


*A presente carta é de gênero fictício, embora contenha situações da vida real.

Olá, Eduardo. Talvez você não lembre muito bem de mim, mas sou o Filipe, aquele com quem você já conversou pela internet acerca de alguns assuntos das doutrinas da graça. Como estão as coisas com sua família? A relação entre vocês está melhorando? Oro ao Senhor para que sim.

Estou lhe enviando esta carta, Eduardo, e já inicio pedindo para que não a leias como sendo algo diretamente a você, mas sim com relação ao movimento em que dizes estar engajado. Lembro-me de tê-lo visto pela internet e em algumas vezes tenho percebido que você tem tentado defender sua posição "reformada" com relação à vida cristã. Acontece, meu caro, que sua posição dita "reformada", nada mais é do que um brevíssimo entendimento daquilo que todo e qualquer cristão precisa saber. Deixe-me explicar:

Muitas vezes as pessoas têm se autodenominado "reformadas", somente porque creem na soberania de Deus, na depravação do homem e na incapacidade do mesmo ir até o Senhor. O problema é que estas coisas, embora sejam verdadeiras e todo professo da fé cristã tenha de tê-las como certas para ser um verdadeiro cristão, não significa que tal pessoa seja um crente "reformado". Por "reformado", estou querendo dizer que é aquela pessoa cujas convicções refletem o que Paulo deixou evidente: "Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus" (1Co 10.31). Isto significa dizer  que um cristão "reformado" busca um amparo e resposta bíblica para absolutamente todas as áreas da vida e em todas elas busca maximizar o louvor ao Senhor por meio de seus atos. Um cristão reformado acorda para a glória de Deus e reconhece Sua bondade por despertá-lo pela manhã (Lm 3.22-23); ao se limpar das impurezas por meio do lavar da água, entende que mais importante que limpar o exterior, é limpar o interior (Mt 23.25); vai até a mesa do almoço e não faz dela um laço para si (Sl 69.22), mas sim reconhece que precisa alimentar seu corpo, pois é templo do Senhor (1Co 3.16).

Ainda que eu conjecture que você esteja lendo e pensando algo como, "sim, mas isso eu já sei", noto que em sua vida isto não tem sido levado "a ferro e a fogo", como dizem em algumas regiões deste Brasil. Quer dizer, me parece que na teoria você entende, mas na prática isto não acontece. Tenho visto você citar alguns reformadores, grandes calvinistas, eventualmente algum puritano, mas sua vida diária está bastante divorciada daquilo que você tem professado. Me vem à memória aquele dia em que você disse não ter problema algum em se declarar um imposto de renda diferente do que você realmente ganha, por exemplo. Também me recordo (com tristeza) que você defende - na teoria - um alto grau de santidade, mas na prática você ainda viola conscientemente o Dia do Senhor com seus campeonatos de futebol e idas ao shopping center, não vê problema em se falar meia dúzia de expressões de baixo calão (indo contra Efésios 4.29), pensa que o governo não deve legislar qualquer moralidade (violando o Salmo 2), é contra quase toda qualquer modéstia no vestir; não pensa haver problema em se comprar jogos falsificados e efetuar download ilegais...

O que desejo com esta singela carta, Eduardo, é lhe alertar sobre um grande perigo que vem correndo: você crê que o pentecostalismo e todo liberalismo moderno é errado (nisto você está certo), mas entende que o simples fato de você crer nas doutrinas as quais me referi logo acima, já o torna um homem salvo. Ora, amado, por vezes tem me parecido que você pensa ter chego ao topo do mundo, donde pode olhar para toda multidão "sob seus pés" e se vangloriar do título que você mesmo se deu: "Eduardo, um homem reformado".

Crer na soberania de Deus é importante, mas colocá-la em prática é ainda mais - Tiago nos alertou sobre isso: "E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos" (Tg 1.22). Você tem vivido algo perigoso e que tem levado muitos a grandes ruínas: o fato de achar que o termo "reformado" é o mesmo que "liberado". Em suas postagens no blog e em redes sociais, tenho acompanhado sua defesa em nome da liberdade cristã, dos direitos individuais, do direito de cada igreja ter o culto que entender por certo - mas, "cá entre nós": você realmente acredita nisso? Você realmente já leu a Bíblia e atentou para o fato, por exemplo, de que apenas nos dois últimos capítulos de Êxodo nos é registrado 17 vezes que Moisés fez tudo "conforme lhe ordenara o Senhor"? Quem tem lhe enfeitiçado com palavras mágicas que afirmam que você pode viver de maneira "liberada" e que, porque você crê ser um eleito, pode viver como bem entender?

Sabe, Eduardo, aquele seu problema com sua esposa e outros em sua família e igreja, não são necessariamente porque Deus é soberano e Ele tem entendido por bem lhe impor estas provações (embora isto seja também verdade), mas sim porque você não tem aplicado corretamente a sã doutrina, como ordena o apóstolo: "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade" (2Tm 2.15). Sua esposa deseja atenção sua, mas você diz: "eu preciso estudar as Escrituras, ler livros e escrever textos"; seus filhos querem brincar com você, mas dizes a eles: "depois, agora o pai está ocupado"; coisas semelhantes também acontecem em sua igreja, como o fato destes tempos eu ter ouvido algumas coisas não muito boas sobre você e seu comportamento.

Buscar a verdade é essencial para o cristão; ler as Escrituras é fundamental - e quem não a lê, sinceramente penso que ainda não morreu para o pecado e nasceu para Cristo; todavia, busque aplicar estar benditas coisas em sua vida. Pare de achar que você já alcançou a estatura de Cristo ou que sempre é o "coitado" da história. Deixe de meninice, homem! Desculpe lhe falar nestas palavras, mas tem aparentado que o termo "reformado" só lhe trouxe problemas. Brevemente me recordo de quando você era "pentecostal" e orava fervorosamente, agora, entretanto, por dizer crer na soberania de Deus, tens orado muito pouco; outrora você visitava os aflitos e se compadecia dos pobres, hoje sequer corta o seu coração ver uma imagem de alguém necessitado - aliás, em seu perfil na rede social, você possui mais fotos de animais "carentes" do que expressões de contrição e ajuda benéfica aos "órfãos e às viúvas" (Tg 1.27).

Encerro por aqui lhe exortando para que busque ter mais piedade em seu coração e em suas atitudes. Deixe das brincadeiras de menino e cresça em conhecimento piedoso. Lembro-me com saudades do tempo em que você "descobriu" a fé reformada e estava grandemente entusiasmado. Não sei exatamente o que lhe aconteceu, mas de longe observei-o se afastando gradativamente do ensino verdadeiramente reformado - talvez você tenha pensado que ele é "rígido" demais ou algo que não se encaixe em nossa época... ainda não sei ao certo o que lhe aconteceu.

Que o Senhor abra os olhos de teu entendimento (Ef 1.18) e o leve ao conhecimento de Sua verdade que é segundo à contrição de coração. "Exercita-te a ti mesmo em piedade" (1Tm 4.7)

Comente com o Facebook:

3 comentários :

  1. Uau! Maravilhoso! Meu nome não é Eduardo, mas gostei de me imaginar sendo o alvo da carta. É importante sempre reavaliarmos nossa caminhada. Muito obrigado! Abraços!

    ResponderExcluir
  2. li está "história" - interessante -
    só fazendo uma ressalva - dizer que o "eduardo" está correndo um grande perigo pois ele crê no Pentecostalismo - Creio que o irmão é sábio e inteligente e deve pensar para poder escrever
    irmão com todo respeito , você está equivocado pensar desta maneira - aonde congrego A.Deus - cremos na doutrina pentecostal e sei o que Deus fez na minha vida - me tirou do lamaçal do pecado - andava perdido,drogado,longe de Cristo, sem a Luz da Vida - Cristo me alcançou - Glória a Deus - acho que alguns ditos "reformados" se acham os donos da verdade - não sei se é verdade, um "reformado", chegou ao ponto do extremo e disse, que o calvinismo é o evangelho, pura Heresia
    tenho respeito pelo reformados até acesso sites/blogs deles, o
    por acaso no céu só terá os "reformados"? - não no céu terá os TRANSFORMADOS - Graças a Deus não SOU REFORMADO - FUI TRANSFORMADO PELA GRAÇA DE DEUS, QUE ME TRANSPORTOU DAS TREVAS E ME TROUXE PARA O REINO DO SEU FILHO JESUS CRISTO.-

    ResponderExcluir
  3. O meio em que estou ñ me permite ser um cristão reformado. Verdades claras das escrituras e defendidas pela fé reformada são incompreendidas e duramente criticadas pelos "cristão" com os quais convivo. É muito dificil pra mim. É ficar na igreja do jeito q tá ou sair e tentar viver como acredito mas fora da igreja. Pq pra onde olho vejo os msmos problemas, em todas as igrejas. Mas mto disso é culpa minha, sou mto covard e tbm. Mas, enfim...é só um desabafo. Mto bom esse post e o blog como um todo, benção de Deus.

    ResponderExcluir

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Compartilhe

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

pop-up LIKE

Plugin