"Eu me confesso ser do número daqueles que, aprendendo, escrevem; e escrevendo aprendem" - Agostinho

Se inscreva no meu canal do YouTube!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Série Homeschooling - parte 2 (O que é?)



 - parte 2 (O que é?)       
                       - parte 4 (A situação jurídica no Brasil)

Dando seguimento, listemos algumas coisas sobre o que vem a ser, efetivamente, o homeschooling.

Em primeiro lugar, significa usar todo o dia e todas as coisas para ensinar. A expressão "escola em casa", para fins práticos, significa o mesmo que ensinar em tempo integral. Quer dizer, esteja você limpando a casa ou cozinhando, pode e dentro do possível, deve, ensinar seus filhos sobre as coisas envolvidas. Por exemplo, ao encher um copo de água, ensine sobre a lei da física que diz não ser possível dois corpos ocuparem o mesmo espaço; se cortar uma fruta e ela tiver sementes, mostre o que é isso e qual a utilidade delas. Certamente você poderá ensinar muito mais do que apenas guiar as páginas e exercícios a serem feitos.

Em segundo lugarsignifica sair e mostrar o mundo, ensinar no cotidiano da vida. Se quando a criança vai à escola formal ela recebe ensinamentos sobre o que é "turismo", apenas para ilustrar, no ensino doméstico acontece a mesma coisa, só que de uma forma muito mais interessante. Ao sair com seu filho, seja criativo e ensine sobre o que é "fazer turismo"; qualquer viagem ou mesmo ida ao supermercado pode significar grande aprendizado (número, unidades de medida [gramas, litros...], expressões comuns em línguas estrangeiras [diet, light, no sugar...]). Conforme seu filho cresce a responsabilidade aumenta, ao mesmo tempo em que todas as coisas podem servir para ensinar - até mesmo um outdoor é uma oportunidade de ensinar sobre marketing, não é mesmo?

Em terceiro lugarsignifica ser parte ativa no processo de aprendizagem, e não somente fiscalizar. Em tese, no ensino formal, cabe aos pais a responsabilidade de fiscalizar o que os filhos estão aprendendo, entretanto, uma vez que você é o "professor", sua função não é somente verificar o quanto seu filho tem aprendido, e sim se envolver ativamente em todas as áreas. Não será o bastante a correção das tarefas no fim do dia, se você o deixou sozinho a tarde toda e não lhe ensinou ou guiou os primeiros passos. Não é porque você será um facilitador, conforme já dissemos, que isso lhe dê o direito de meramente verificar o progresso, pois muitas vezes ele pode não vir, caso você não esteja sendo participante intenso e eficaz.

Em quarto lugarsignifica que ambos os pais precisam estar envolvidos. É um erro o imaginar que somente à mãe cabe o ensino. Muito embora, geralmente, seja ela quem está em casa durante o dia e por isso ensine durante um tempo maior, o pai, mesmo após um cansado dia de trabalho, precisa se envolver, mesmo que um pouco. É preciso que seu filho entenda que os pais estão interessados em sua aprendizagem. Se ambos estão envolvidos, a criança não enxergará a mãe como "professora" e o pai como "brincalhão", e sim ambos em igual estima.

Em quinto lugarsignifica aprender que a responsabilidade pela criação é sua. Com a criança na escola formal é muito fácil colocar culpa na instituição, nas más companhias, na má grade curricular e em qualquer outra coisa quando seus filhos não estão aprendendo ou estão sendo rebeldes. Ao ensinar em casa, porém, cabe aos pais e tão somente a eles, a responsabilidade. Se seu filho está desobedecendo, entenda que a responsabilidade é sua - ainda que a culpa não seja sua, mas o dever de controlar a situação o é.  Esteja ciente de que o futuro de sua prole está em suas mãos. E por favor, não pratique o ensino doméstico se você foge das responsabilidades.

Em sexto lugarsignifica que alguém terá de ficar em casa com a criança ou precisará a levar para algum local semelhante. É preciso ter em mente que nem todos podem fazer isso. Muitos pais gostariam de poder ficar o dia inteiro com seus filhos, mas nem todos possuem condição financeira para tanto; porém, não é preciso ser "rico" para praticar, bastando que os pais reajustem os gastos e, por vezes, passem a viver mais modestamente. Assim, para ensinar domesticamente, seja na própria casa ou levando para cursos específicos (ou até mesmo casa de amigos, onde mais crianças se reúnem), é preciso que você se prepare para esta mobilidade. Certamente que o ensino em casa não se traduz em deixar o filho com a babá, lhe passar tarefas e só voltar no fim da tarde. É preciso disposição por parte de quem trabalhará "fora" e uma boa dose de planejamento, a fim de que mesmo com poucos recursos, o filho possa ter o máximo possível de ferramentas para compreender e entender o necessário.

Em sétimo lugarsignifica aprender o que é paciência e perseverança. Muitas vezes as expectativas são sufocadas pela tristeza e aparente falta de bons resultados. Os pais se esforçam para ensinar os filhos, entretanto, acabam vendo pouco ou nenhum progresso em curto/médio prazo. É imperioso, assim, entender a alta probabilidade de seu filho não gostar de estudar e/ou demorar muito para aprender certas coisas; não é porque o filho do amigo sabe o alfabeto inteiro que o seu também saberá. A vantagem de ensinar em casa é que seu filho será medido conforme a sua capacidade, acabando por não gerar frustrações ou concorrência desnecessária. E ainda que os esforços pareçam não dar resultados, persevere e não desista - talvez o filho seja a maneira pela qual você aprenderá isso.

Em oitavo lugarsignifica lutar por estabelecer um laço de amizade sem igual com o filho. Uma professora "chata" não agrada os alunos e pais igualmente inflexíveis ou pouco amorosos, também provocarão a raiva nos filhos. Se os filhos já possuem seus momentos de rebeldia, quando frequentam o ensino tradicional, quanto mais estando sempre na companha dos pais. Se não houver um estreito laço amoroso e fraterno na família, absolutamente tudo se tornará mais difícil e pesaroso, afinal, que pais gostariam de ensinar um rebelde ou que filhos desejariam ter pais/professores sem compaixão?

Em nono lugarsignifica que você precisará estabelecer limites entre a verdade e o erro. Jamais pense que seu filho é livre para criar a visão do mundo que bem entender, pois esta é a receita para uma vida conturbada e misturada às devassidões. É verdade que você não poderá delimitar todas as coisas que seu filho assiste na televisão (caso você opte por ter uma), na internet e com os amigos, no entanto, você precisa ensinar a ele que existem verdades inegociáveis. Se sua família possui valores essenciais, não deixe que seu filho se sinta livre para os quebrar.

Em décimo lugarsignifica que certos assuntos "cabulosos" precisam ser ensinados. Este interessante vídeo ilustra como os pais ficam envergonhados ao falar com os filhos sobre como os bebês são gerados. Palavras normais para adultos são temerosamente transmitidas aos filhos - e muitos deles ficam um tanto quanto surpresos (risos). Desta forma, não somente cabe aos pais ter o dever (veja como um privilégio!) de ensinar sobre sexo, e sim sobre os mais variados assuntos. Não deixe que o mundo doutrine seus filhos, sendo que você pode os guiar, tirar suas dúvidas e lhes ser a melhor companhia!

Em décimo primeiro lugarsignifica que você precisará disciplinar seu filho quando ele desobedecer. Crianças são teimosas e nem sempre um mero "falar mais sério" resolve os problemas. Como indivíduos em formação, seu filho precisa aprender que é recompensado quando faz o correto e punido quando transgride as ordens. Ensinar em casa, portanto, implica em estar preparado para ver o seu filho "sofrer" momentaneamente, seja com uma pequena disciplina e/ou sendo privado de algo que tanto gosta. Convém estabelecer, também, que a disciplina, primeiramente, é fundada no amor. Pais que castigam seus filhos a todo o momento e por qualquer coisa, mesmo quando eles nunca foram ensinados sobre aquilo (mas os pais acham que eles já deveriam saber), tendem a fazer mais mal do que bem. O objetivo do ensino em casa é fazer com que os filhos sejam obedientes por amor, e não que sejam disciplinados por toda e qualquer coisa que contrarie o mundo dos adultos (por exemplo, por que bater na primeira vez em que seu filho pular no sofá? Não seria melhor lhe ensinar primeiro sobre que ali não é o local adequado?) E lembre-se de que é melhor o fazer chorar agora do que chorar de desgosto por ter um filho obstinado e de dura cerviz.

Em décimo segundo lugarsignifica que deve haver um bom casamento. Querido leitor, preste atenção nisso: seu filho é uma das coisas mais importantes para você, mas ele deve vir depois do amor que você nutre por seu cônjuge. Todo esforço para ensinar, possivelmente será inútil, caso os pais briguem constantemente e não demonstrem ao filho um amor genuíno entre si. Ainda que ao filho seja dito que ele deve respeitar as pessoas, pedir "por favor" e dizer "obrigado", se dentro de casa ele enxergar um comportamento destoante do que lhe dizem para fazer, as chances de imitar o mau exemplo serão maiores. Um casal unido é um requisito essencial para um ensino domiciliar saudável.

Eis doze coisas sobre o que é o homeschooling. Em seguida anotaremos algumas dicas e sugestões sobre como praticar.

*agradeço a todos que leram previamente este texto e contribuíram com ele.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Compartilhe

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

pop-up LIKE

Plugin