As redes sociais e os cristãos solitários


A constatação não é boa: vivemos em dias onde muitos cristãos estão sozinhos. Não, não estou dizendo que eles moram sozinhos ou vivem em cidades pequenas, e sim que, mesmo cercados de pessoas, se sentem sozinhos. Isso, além de triste, é grave; porém, diagnosticando o problema corretamente, podemos encontrar sua cura.

Poderíamos citar diversos fenômenos sociológicos que visualizamos nas redes sociais, desde os indivíduos que se acham "feios" e por isso vivem tentando mostrar que são lindos (maquiagem, roupas da marca X ou Y); pessoas tristes e querem que outras se apiedem delas; pseudo-intelectuais que escrevem sobre tudo, quando, em verdade, não sabem sobre nada.... 

Muitas coisas ocorrem, mas queremos falar dos cristãos solitários. Por esta forma de dizer, me refiro àqueles crentes que fazem das redes sociais o seu espelho, o seu "confessionário evangélico", o seu "melhor amigo", o seu saco de pancadas e, não raro, o seu local onde pode disseminar suas fantasias, isto é, passar uma imagem que não condiz com a realidade. Falo dos crentes que possuem milhares de amigos na internet, mas sentam sozinhos no culto; dos que são adorados virtualmente, mas ninguém os suporta pessoalmente. E por que fazem isso? Porque se sentem sós, ainda que rodeados de pessoas.

Já foi dito com muita propriedade, aqui, sobre as moças cristãs e suas "selfies sedutoras", mas não podemos deixar notar os crentes que tiram fotos de todas as coisas - deles dormindo, da comida, da roupa que estão em dúvida para usar, do cachorro lindo que compraram, do tênis novo, dos músculos na academia, do estudo no seminário... E aqui, não me refiro aos outros, porque eu também faço isso. A questão é: por que fazemos isso? (por que, ó céus?!) Noutras palavras, não questiono informações valiosas que são compartilhadas, e sim aqueles fatos irrelevantes que servem, tão somente, para elevar o nosso ego ou transmitir uma falsa imagem sobre nós, revelando o quanto nos sentimos solitários.

Permita-me o leitor, num momento de descontração, mostrar uma imagem que circula pelo Facebook


Fotos do Chapolim, o mestre em nos fazer das risadas, são frequentemente usadas para montagens deste tipo. Todavia, as imagens irônicas, em verdade, refletem algo muito genuíno, afinal, quantas pessoas você não conhece que se enquadram no dizer acima? Quer dizer, quem nunca disse que ficou "horrível" em uma foto 3x4? Quem nunca disse "tira outra, porque eu fiquei feio". Ora, qual o problema em se assumir e dizer que não se é tão lindo? Há algum pecado nisso? Receio, sim, que o pecado esteja em desejarmos transmitir algo que não somos.

Recentemente havia uma febre no Facebook: mulheres se desafiando a postar "fotos sem make" ou em uma linguagem mais popular, "fotos sem maquiagem". Pergunto-me, até hoje, qual a razão disso. Sei que existem crentes fieis que participaram - inclusive uma gentil irmã veio falar comigo isso - e não estou negando o cristianismo de alguém, apenas pretendo levantar a indagação sobre o porquê se tornou tão "extraordinário" postar foto sem maquiagem.

Evidente que os homens também são atingidos. Não faltam fotos de conhecidos meus na academia, com livros do seminário, Bíblias em grego, preparando um sermão, da filha pequena se trocando para ir ao culto, se fazendo parecer o justiceiro na política, o mestre das boas obras, o intocável indivíduo que não se deixa dominar pelas modas do momento... A lista é sem fim. 

Nada nisso, em si, é errado, mas não seria um sinal de que estamos nos sentindo sozinhos? 

Quer dizer, porque não podemos comer algo delicioso e ficar sem postar uma foto sobre isso?! É assim tão desafiador? Por que motivos um "like" nos traz tanta alegria no dia? Por quê? Por quê? Eu realmente não entendo. Por que uma mulher cristã não pode sair de casa sem "make"? Por que um homem cristão não pode ir para a academia e ficar sem postar sobre seu treino? A mulher sai de casa para agradar a outrem e o homem "puxa ferro" para querer aparecer ao próximo? Qual a dificuldade em não sermos "vistos" pela multidão?

Realizamos todas estas coisas e gostamos de as publicar, sem nos percebermos que Cristo já falou de algo muito mais nobre que deveríamos fazer, mas não para agradar a homens! "Guardai-vos de fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles; aliás, não tereis galardão junto de vosso Pai, que está nos céus" (Mt 6.1). Sejamos sinceros: se ajudar o próximo, cuja atitude é excelente, não deve ser feita "diante dos homens", isto é, sem o intuito de aparecer e receber alguma glória, por que desejamos que a multidão virtual nos olhe e perceba que somos atraentes, fortes, estudiosos, desportistas ou qualquer outra coisa? Não estamos indo na contramão da Escritura?

Creio, assim, que a cura para este egocentrismo exacerbado, que acaba nos deixando "solitários", pois não conseguimos ter toda a atenção que gostaríamos, é clara: "É necessário que ele cresça e que eu diminua" (Jo 3.30). Como cristãos, precisamos orar para que o Senhor mude nossos corações. Precisamos orar para que busquemos mais agradar a Deus, do que aos homens.

Querido irmão, sei que a internet é boa quando corretamente utilizada, mas não faça dela a sua união nesta terra. Lembre-se: "O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar" (Mt 24.35). "Curtidas", "compartilhamentos" e comentários irão passar, mas a Palavra de Deus permanecerá. Ou como Cristo afirmou noutro lugar, "que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua alma?" (Mc 8.36).

Que proveito temos aos buscarmos a glória diante de uma "multidão", sendo que, não raro, nosso coração está distante de Deus? Qual a validade de nosso pequeno evangelho via wireless, sendo que em nosso dia-a-dia  somos calados e não proclamamos as verdades? Por que você se sente sozinho, isto é, imagina que está sozinho e por isso faz do computador o seu palco de espetáculos para uma multidão, não raro, desconhecida? Há algum crescimento cristão nestas coisas? Pense nisso, crente.

E finalizo dizendo: esta postagem não é para ninguém, e sim escrita por mim e para mim, pois sou o primeiro a errar.

Que Deus nos abençoe.

Comentários

  1. Eu nesta manhã estava pensando justamente nisso, cadê meus amigos crentes?! Aí abro meu e-mail e encontro este post, que por sinal foi uma benção! Apesar de estar offline do face atualmente, notei o quanto foi difícil me desligar dele, pelos irmãos de longe que conversava com frequência! Porém ao desligar-me, 10% (chutando alto) deles eu mantive contato, ou por e-mail ou whatsapp. Então era uma falsa ilusão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber que lhe foi útil, irmã!

      Cristo seja contigo!

      Excluir
  2. Muito bom! ainda sou usuária de algumas redes sociais devido a facilidade de se comunicar, mas penso sempre nisso... E se não refletirmos não é dificil "ir na onda" e publicarmos nossa "vida" para o mundo! Será que precisamos dessas coisas realmente? É evidente que não, pois o afeto o respeito, tem se perdido em meio a toda essa complexidade e facilidade de nossa sociedade, é lamentável. Mas já estava escrito que: o amor de muitos esfriariam (Mateus 24:12)
    O filme Her lançado recentemente, mostra que muitas vezes as pessoas se prendem a esses meios por medo de encarar a realidade, e como o relativismo está impregnado no mundo atual o "tanto faz" predomina, e com isso muitas vodas padecem.

    Creio que assim como eu, muitos cristãos espalhados pelo mundo sentem falta da simplicidade do evangelho: E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.
    E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.
    E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.
    E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister.
    E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,
    Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.

    Atos 2:42-47

    Parabéns pelo trabalho, vamos contra o mundo lutando o bom combate! abraço

    ResponderExcluir
  3. Olha, sinceramente, eu não vejo nada de errado ou contrário as escrituras em compartilhar informações sobre a nossa vida ou sobre nós, e colocar mais esse pecado na lista e mais um maldito fardo nessa vida é tolice. O problema verdadeiro não está em postar coisas na internet e sim, no intuito de quem posta, se como vc falou, a pessoa tem a nescessidade de postar tudo o que faz, então o problema está na cabeça dela. Outra coisa também, são aquelas pessoas que postam coisas de mentira, para os outros acharem que ela é de um geito quando na verdade é de outro. Mas fora isso não há nada demais em compartilharmos informações sobre nós na internet.
    Ou voce diria que agora compartilhar informações ou mostrar algo sobre nós é pecado ou mais uma coisa que não podemos fazer nessa vida? Sinceramente, eu não tenho nada contra (sou só contra a autoexaltação, mas a exposição em sí não) e odiaria em está sendo conivente com mais um maldito pecado nesta vida, por que parece que tudo nessa vida é pecado, tudo é contrário as escrituras, talvez a melhor opção para alguém seria viver no topo de uma montanha isolado de tudo e de todos sem fazer nada a não ser orar, ler a biblia, jejuar e fazer as nescessidades básicas da vida, por que parece que esse mundo é tão maldito que quem não se isolar peca de todas as formas e ofende a Deus de todas as formas. Por isso, a igreja católica construiu monsteiros na idade média e se não fosse pela nescessidade de evangelizar, os protestantes faziam o mesmo, para ver se saem de perto dessa maldição que é o mundo.
    Sei que é nescessário que Ela cresça e nós diminuamos, mas não precisamos nos reduzir a inexistencia para isso, como é que algo que "não existe" vai glorificar a Deus? Algo que não existe é ignorado como tal. Tampouco, precisamos colocar mais esse pecado a ser renunciado em nossas vidas, por que se não, se for para não sermos porcaria nenhum é melhor se isolar do mundo e realmente deixar de existir e não ser mais praga nenhuma. Por que se algo se não existe, como vai cometer pecados ou desagradar a Deus?
    O que precisamos tratar é a intenção de nosso coração, se é se exaltar ou simplesmente compartilhar informações.

    ResponderExcluir
  4. Talvez eu não tenha entendido direito, mas se quer saber amigo, eu odiei este post. Qual é o problema de compartilharmos informações sobre nós mesmos? Qual? Uma coisa é se exaltar nas redes sociais, outra é querer apenas mostrar fatos sobre vc. Eu não sou viciado em redes sociais, alias, de uns tempos pra cá tenho deixando muito elas de lado, são poucas as vezes em que eu paro um pouco para ver o instagram ou o facebook. O que odiei mesmo é que parece que agora, compartilhar informações sobre sí mesmo é algo pecaminoso, que a pessoa deve viver como se não existisse. Sei que Cristo deve ser exaltado, mas em que isso implica em compartilharmos informações sobre nós, para que as outras pessoas nos conheçam? Será possivel que agora estarei pecando (ou contrariando as escrituras) se postar uma foto minha ou qualquer outra informação ou qualquer outra coisa que não seja relacionada com a vida cristã? Poxa vida! Espero que esteja errado. Espero que sua alerta seja somente quando ao intuito das pessoas nas redes sociais, não nescessariamente, pelo fato delas postarem informações sobre sí mesmas.

    ResponderExcluir
  5. Outra coisa, se eu posto uma coisa nas redes sociais, seja lá o que for, posto apenas para mostrar o que sou. Há algo de errado em mostrar o que é? Errado é quando mostramos algo que NÃO somos, só para ganharmos curtidas das pessoas. E isto, claro, constitui-se como mentir.
    Amigo, não tenho nada contra, vc se questionar sobre seus hábitos e achar que não está agindo bem, mas tome cuidado ao falar para outras pessoas que isto errado, pois assim, vc poderá colocar mais fardos na vida da pessoa e faze-la tropeçar ao achar que mais uma coisa se torna pecaminosa na vida dela. E quando mais pecados banais são postos em nossas vidas, mas se torna insuportável e aborrecida a vida cristã.

    ResponderExcluir
  6. Nessa vida cristã, eu acabo me preocupando mais com coisas banais, coisas pequenas do que com o que realmente importa. Seu post não me ajudou, muito pelo contrario, colocou mais esse fardo nas minhas costas, mais culpa e mais uma coisa que eu não devo fazer, sendo assim, daqui a pouco não saberei mais como viver, não saberei mais o que fazer na vida, por que tudo é pecado, tudo contraria as escrituras e não pode nem desejar morrer por que isso é se suicidar (não que esteja dizendo que isto não contraria a lei de Deus). Irmão, francamente, a pessoa acaba ficando com medo de viver e com medo de Deus, ao invés de pensar nele como alguem que salva, pensará nele como alguém que está pronto para condena-la a qualquer momento e que esta sob a ira dele. Nisso ela vai perdendo a fé em Cristo. E se tentar ao maximo se livrar de tudo na vida dele que possivelmente pode contrariar as escrituras, sei nem o que essa pessoa vai fazer. Simplesmente vai dedicar a vida somente a coisas relacioanadas a vida cristã, vai somente orar, ler a biblia, jejuar, ir a igreja, conputador só para tirar duvidas em sites cristãos. Isso torna a vida cristã insuportavel e um fardo a ser carregado nas costas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Por favor, comente este texto. Suas críticas e sugestões serão úteis para o crescimento e amadurecimendo dos assuntos aqui propostos.

Postagens mais visitadas